Próximas Ações

O ensino do Yoga no contexto de aulas de Educação Física_sec. Paços de Ferreira_PD_F44
Curso de formação
Candidaturas Abertas

Designação da ação / Registo de acreditação

O ensino do Yoga no contexto de aulas de Educação Física

CCPFC/ACC-103362/19

Formador(a) / Registo dos formadores

SÓNIA GABRIELA PIMENTA MONTEIRO

CCPFC/RFO-18799/05

Modalidade / Destinatários

Curso de formação 25 horas

Professores de Educação Física dos grupos 260 e 620.

Local de realização

Escola Secundária de Paços de Ferreira

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Educação Física dos grupos 260 e 620.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores de Educação Física dos grupos 260 e 620.

Cronograma

  maio dias: 8, 15 e 22_17h_20h30

maio: 9 e 16 _9h_12h30 e das 14h_18h

OBJETIVOS A ATINGIR

Sensibilizar e habilitar professores dos conhecimentos básicos, competências e capacidades para desenvolver uma aula de yoga adequada aos alunos de diferentes níveis de ensino, quer se trate do pré-escolar, dos 1º, 2º e/ou 3º ciclos, nomeadamente nos seguintes aspetos:

·conhecer os fundamentos da prática de yoga

·articular e complementar a prática de yoga com o programa escolar, e utilizar algumas técnicas em aquecimentos ou momentos de recuperação/fecho de aulas

·adoptar hábitos de vida mais conscientes e sustentáveis

·incentivar a participação e o aumento da concentração dos alunos no planeamento e gestão das atividades.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

Apresentação- 1 hora

Tipos de Yoga - 2 hora

Fundamentos e código de ética - 2 horas

Técnicas respiratórias - 3 horas

Técnicas corporais - 7 horas

Relaxamento e meditação - 3 horas

Aula modelo - 2 horas

Aula em dupla e acro-yoga - 3 horas

Avaliação - 2 hora

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

A metodologia servirá os propósitos teóricos e práticos do Yoga enquanto alternativa curricular.

Nesse sentido, serão apresentadas as posturas mais usuais do yoga pra todos os níveis de ensino, as asnas e as mudras e os benefícios físicos daí resultantes:

Não se descurará, evidentemente, a filosofia que está ligada a esta prática milenar.

Logo, o método demonstrativo, logo seguido de aplicação prática e vivência de experiencial dos formandos vai ser o método de eleição.

A teoria e a prática estarão sempre em perfeita simbiose em todas as sessões, como se poderá verificar pela organização da formação que nos propomos implementar.

Sugestão de organização das sessões

Sessão 1 (5 horas)

Apresentação (T) - 1 hora

Tipos de Yoga (T) - 2 horas

Fundamentos e código de ética (T e P) - 2 horas

Sessão 2 (5 horas)

Técnicas respiratórias (T e P) - 3 horas

Técnicas corporais (T e P) - 2 horas

Sessão 3 (5 horas)

Técnicas corporais (T e P) - 5 horas

Sessão 4 (5 horas)

Relaxamento e Meditação (T e P) - 3 horas

Aula modelo (T) - 2 horas

Sessão 5 (3 horas)

Aula em dupla e acro-yoga (P) - 3 horas

Sessão 6 (2 horas)         

Avaliação (T) - 2 horas.

AVALIAÇÃO           

Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presencias.

- Trabalhos práticos e reflexões efectuadas a partir das e nas sessões presenciais, de acordo com os critérios previamente estabelecidos, classificados nas escola de 1 a 10, com a menção qualitativa de:

   1 a 4,9  valores – Insuficiente

   5 a 6,4 valores – Regular

   6,5 a 7,9 valores – Bom

   8 a 8,9 valores – Muito Bom

   9 a 10 valores -  Excelente

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Ensino experimental das ciências na Educação Pré-escolar_AE Frazão_PD_F_29
Oficina de formação
Candidaturas Abertas

Designação da ação / Registo de acreditação

Ensino experimental das ciências na Educação Pré-escolar

CCPFC/ACC-105546/19

Formador(a) / Registo dos formadores

PAULO RENATO RIBEIRO DA SILVA - CCPFC/RFO-24857/08

Modalidade / Destinatários

Oficina de formação (15h+15h)

Educadores de Infância

Local de realização

Agrupamento de Escolas de Frazão

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Educadores de Infância.

Cronograma

abril: 21, 28

maio: 05, 12, 13*

junho: 9*, 16

Horário

17:30_20:30

  • 15 horas de Plataforma e escola dos formandos

OBJETIVOS A ATINGIR

Consolidar conhecimentos na área do Conhecimento do Mundo Físico e Natural no contexto das Orientações Curriculares para o Pré-escolar e atualização dos seus conhecimentos teórico-práticos ao nível de operacionalização das temáticas abordadas nas mesmas; Refletir sobre iniciativas comuns de mudança na prática pedagógica, em relação à área do Conhecimento do mundo Físico e Natural; Debater as estratégias e recursos didático-pedagógicos no domínio da área do conhecimento do Mundo Físico e Natural, tendo como referência as orientações curriculares para o pré-escolar; Produzir materiais de apoio.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

Material de laboratório e suas aplicações; Análise das Orientações Curriculares para o pré-escolar- Área do Conhecimento do Mundo Físico e Social; Trabalho científico nos primeiros anos de escolaridade;  Conceções alternativas e aprendizagem das ciências; Etapas do método científico; Como elaborar um protocolo para um trabalho experimental a aplicar a crianças do pré-escolar; Exploração de materiais -Dissolução em líquidos; Exploração de transformações - Mudanças de estado físico; Exploração de plantas – Sementes, germinação e crescimento..

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Presencial

Sessões teórico/práticas, com a mobilização de recursos, como: materiais de laboratório, de uso corrente e recicláveis. Nestas serão abordados conceitos teóricos, exemplos práticos com a realização de trabalho pelos formandos, estudos de caso e apresentados exemplos de operacionalização didática de temáticas. Elaboração de ferramentas de trabalho experimental para utilização no TA

Autónomo

Realização de uma atividades em sala de aula relacionada com as temáticas desenvolvidas onde seja elaborado e posto em prática um protocolo. Reflexão sobre as atividades realizadas e a proposta de novas atividades serão objeto de avaliação.

AVALIAÇÃO           

Os formandos serão avaliados quantitativamente, numa escala de 1 a 10 valores, conforme Carta Curricular nº 3 de 2007, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos pelos formadores e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua.

Os formandos serão avaliados tendo em conta os seguintes parâmetros: Participação; Apresentação dos resultados trabalho autónomo e Trabalho Final

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Métodos e Técnicas de Cerâmica - Novas Experiências II_AE Joaquim Araújo_PD_F30
Curso de formação
Candidaturas Abertas

Registo de acreditação:

CCPFC/ACC-101306/18

Formador(a) / Registo dos formadores

MARIA JOSÉ MEDEIROS CARAMEZ / CCPFC/RFO-33924/13

Modalidade / Destinatários

Curso de Formação de 25 horas               / Professores dos grupos 100 e 110

Local de realização

Agrupamento de Escolas de Joaquim Araújo

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 100 e 110.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos grupos 100 e 110.

Cronograma

Abril

20 e 27

Maio

 4, 11, 18 e 25

Junho

 1, 8 e 15

Horário: 17:30_20:30  (a 1.ª e última sessão terminam às 19:30)

Objetivos a atingir

Desenvolver a capacidade de reflexão e sentido critico perante o ato criativo.
Conhecer e desenvolver novos métodos e técnicas no âmbito da cerâmica.
Desenvolver projetos pedagógicos nos quais a cerâmica seja integrada como fonte de aprendizagem e formação da personalidade.

Conteúdos da ação
Desenvolver a capacidade de reflexão e sentido critico perante o ato criativo.
Conhecer e desenvolver novos métodos e técnicas no âmbito da cerâmica.
Desenvolver projetos pedagógicos nos quais a cerâmica seja integrada como fonte de aprendizagem e formação da personalidade.

Metodologias de realização da ação

Exposição e demonstração.
Realização de exercícios em cada fase das várias técnicas e tarefas.
Realização de exercícios de aplicação prática.
Avaliação crítica dos trabalhos realizados.

Regime de avaliação dos formandos
• Avaliação contínua: participação 40% e trabalhos finais 60%.
• Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais
• Trabalhos práticos efectuados nas sessões presenciais e reflexão crítica final, de acordo com os critérios previamente estabelecidos, classificados nas escola de 1 a 10, conforme indicado na Carta Circular CCPFC – 3/2007 – Setembro 2007, com a menção qualitativa correspondente.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Expressão Plástica: experiências desenhadas e coloridas_AE D. Ant.º Taipa_PD_F_38
Curso de formação
Candidaturas Abertas

Designação da ação / Registo de acreditação

Expressão Plástica: experiências desenhadas e coloridas / CCPFC/ACC-100643/18

Formador(a) / Registo dos formadores

LUÍS MANUEL FERREIRA PINHEIRO / CCPFC/RFO-14553/02

Modalidade / Destinatários

Curso de Formação - 25 horas

Professores dos Grupos 110, 240

Local de realização

AE D. António Taipa

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110 e 240.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos Grupos 110 e 240.

CRONOGRAMA

abril

15, 22 e 29 das 17h_21h

maio

6, 13, 20das 17h_21h

27 das 18h_19h 

OBJETIVOS A ATINGIR

Incentivar os professores para, junto dos seus alunos, desenvolver e explorar:

- Promover a transversalidade da expressão plástica.

- Fomentar o contacto com a obra de arte.

- Contribuir para o desenvolvimento dos alunos ao nível da sensibilidade estética e do gosto pela arte.

- Promover a inovação e a criatividade dos alunos.

- Incrementar a troca de experiências educativas, refletindo sobre as práticas desenvol-vidas, de modo a aperfeiçoar meios processuais e ou técnicos.

- Utilizar os diversos meios de expressão.

- Desenvolver as capacidades expressivas dos instrumentos e materiais.

- Aplicar as técnicas básicas de expressão plástica.

 CONTEÚDOS DA AÇÃO

Apresentação da ação de formação, discussão dos critérios de avaliação e indicação do material necessário para as sessões (30min).

DESENHO/PINTURA

- Grafite e carvão sobre papel ou cartão (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

- Lápis de cor sobre papel/cartão (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

- Marcadores ou canetas de feltro sobre papel/cartão (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

PINTURA/IMPRESSÃO

- Guache sobre papel/cartão (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

DESENHO/PINTURA

- Pastel seco sobre papel/cartão (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

- Pastel óleo sobre papel/cartão (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

- Acrílico sobre tela (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

RECORTE, COLAGEM E TÉCNICAS MISTAS

- Técnica mista sobre cartão/plátex (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

- Análise do processo de trabalho e dos resultados obtidos e avaliação (30min).

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

As sessões a ministrar serão teórico/práticas, abarcando:

- Mostra visual das técnicas (desenho, pintura, impressão e colagem) e materiais referidos (papel, cartão, plátex e tela).

- Experimentação de algumas técnicas referidas e realização de trabalhos pelos formandos.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

• Participação nas sessões de trabalho – 40% + Trabalho final – 60%

• Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais;

•Trabalhos práticos efetuados nas sessões presenciais e reflexão crítica final, de acordo com os critérios previamente estabelecidos, classificados na escala de 1 a 10, conforme indicado na Carta Circular CCPFC – 3/2007 – setembro 2007, com a menção qualitativa de:

   1 a 4,9 valores – Insuficiente;

   5 a 6,4 valores – Regular;

   6,5 a 7,9 valores – Bom;

   8 a 8,9 valores – Muito Bom;

   9 a 10 valores – Excelente.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

A utilização de ferramentas digitais na avaliação formativa_AE Paços de Ferreira_PF_F_58
Curso de formação
Candidaturas Abertas

A utilização de ferramentas digitais na avaliação formativa_CCPFC/ACC - 105040/19

Formador(a) / Registo dos formadores

José Chicória /CCPFC/RFO-16556/03

Modalidade / Destinatários

Curso de formação de 25 horas presenciais

Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e Professores de Educação Especial

Local de realização

Agrupamento de Escolas de Paços de Ferrreira

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e Professores de Educação Especial.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente acção não releva para a progressão em carreira.

Cronograma

abril: 14, 16, 21, 23

maio: 5, 7, 12, 14, 19, 21, 26*, 28*

Horário

16:30_20:30

*16:30_21:00

OBJETIVOS A ATINGIR

Este Curso de Formação que aqui se apresenta pretende dotar os formandos de estratégias e instrumentos que depois possam utilizar, junto do público-alvo com quem trabalham. Assim, são objetivos deste Curso de formação:

Verificar o impacto das ferramentas digitais no processo de aprendizagem e avaliação; Fomentar o valor educacional das ferramentas digitais; Promover novos desafios à conceção dos dispositivos pedagógicos de avaliação; Diversificar as condições para o sucesso da escolha e utilização das ferramentas; Utilizar ferramentas digitais para dinamizar o processo de aprendizagem; Regular e manter a dinâmica pedagógica.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

- Planeamento e organização Curso de Formação – 2h

- A Abordagem à avaliação e respetivos normativos - 3h

- Exploração e utilização de ferramentas digitais no processo de avaliação- 9h

- Conceção e validação de instrumentos digitais de avaliação formativa a usar em contexto de sala de aula – 8h

- Apresentação dos trabalhos finais e avaliação da ação – 3h

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

1)         Apresentação de conceitos e objetivos inerentes à avaliação;

2)         Seriação de ferramentas digitais pela sua relevância, aplicabilidade e eficácia;

3)         Realização e troca de experiências e métodos entre os formandos;

4)         Conceção e validação de ferramentas digitais de avaliação;

5)         Entrega dos trabalhos finais e avaliação da ação.

AVALIAÇÃO           

A avaliação dos formandos será feita tendo em conta os fatores: Participação nas atividades da ação; Trabalho final dos formandos (portefólio com materiais criados para serem trabalhados com os alunos). O referencial da escala de avaliação é o previsto no n.º 2 do artigo 46º do Estatuto da Carreira Docente, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de janeiro.

Não são certificados formandos cuja assiduidade seja inferior a dois terços da duração da ação de formação, conforme o entendimento do Conselho Científico da Formação Contínua, descrito no ponto n.º 2 da Carta Circular CCPFC 1/2007.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Ensino experimental das ciências no 1º Ciclo do Ensino Básico_AE Frazão_PD_F_81
Oficina de formação
Candidaturas Abertas

Designação da ação / Registo de acreditação

Ensino experimental das ciências no 1º Ciclo do Ensino Básico

CCPFC/ACC-105709/19

Formador(a) / Registo dos formadores

PAULO RENATO RIBEIRO DA SILVA - CCPFC/RFO-24857/08

Modalidade / Destinatários

Oficina de formação (15h+15h)

Professores do Grupo 110

Local de realização

Agrupamento de Escolas de Frazão

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 110

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores do Grupo 110.

Cronograma

janeiro: 28

fevereiro: 4, 11, 18

março: 1, 27 - 15 horas de Plataforma e escola dos formandos

abril: 14

Horário: 17:30_20:30

Horário

17:30_20:30

  • 15 horas de Plataforma e escola dos formandos

OBJETIVOS A ATINGIR

Esta ação de formação tem como principal objetivo responder às necessidades expressas pelos professores, consolidar conhecimentos na área do Estudo do Meio no contexto do programa e Orientações Curriculares para o 1.º Ciclo do Ensino Básico e atualização dos seus conhecimentos teórico-práticos ao nível de operacionalização das temáticas abordadas nas mesmas. Outros objetivos: Refletir sobre iniciativas comuns de mudança na prática pedagógica, em relação à área do Estudo do Meio; Debater as estratégias e recursos didático-pedagógicos no domínio da área do Estudo do Meio, tendo como referência as orientações curriculares para o 1.º Ciclo do Ensino Básico; Produzir materiais de apoio Relacionados com a área do Estudo do meio: Desenvolver competências a nível do Ensino Experimental das Ciências Naturais..

CONTEÚDOS DA AÇÃO

Material de laboratório e suas aplicações; Análise das Orientações Curriculares para o 1.º Ciclo do Ensino Básico- Área do Estudo do Meio;

Trabalho científico nos primeiros anos de escolaridade. (Trabalho prático, trabalho experimental e trabalho laboratorial); Conceções alternativas e aprendizagem das ciências; Etapas do método científico; Como formular uma questão problema; Identificar variáveis dependentes e variáveis independentes; Controle de variáveis; Como elaborar um protocolo para um trabalho experimental a aplicar a crianças do pré-escolar; Exploração de materiais -Dissolução em líquidos; Exploração de transformações - Mudanças de estado físico; Exploração de plantas – Sementes, germinação e crescimento.

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Presencial

Sessões teórico/práticas, com a mobilização de recursos, como: materiais de laboratório, de uso corrente e recicláveis. Conceitos teóricos, exemplos práticos, estudos de caso e  exemplos de operacionalização didática de temáticas enunciadas nas O C para o 1.º CEB.Será valorizado o trabalho experimental. Apresentação do trabalho realizado em sala de aula. Criação de ferramentas para o TA.

Autónomo

Realização de uma atividades em sala de aula preparadas em sala da formação com as temáticas desenvolvidas onde seja elaborado e posto em prática um protocolo. Reflexão sobre as atividades realizadas e a proposta de novas atividades serão objeto de avaliação.

AVALIAÇÃO           

Os formandos serão avaliados quantitativamente, numa escala de 1 a 10 valores, conforme Carta Curricular nº 3 de 2007, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos pelos formadores e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua.

Os formandos serão avaliados tendo em conta os seguintes parâmetros: Participação; Apresentação dos resultados trabalho autónomo e Trabalho Final

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Observação, Educação e terapia psicomotora_Sec. Paredes_PD_F54
Oficina de formação
Candidaturas Abertas

Observação, Educação e terapia psicomotora

CCPFC/ACC-105336/19

Formador(a) / Registo dos formadores

PEDRO MIGUEL TEIXEIRA FLORES

TERESA MARINA BARBOSA DE MAGALHÃES

CCPFC/RFO-22045/07

CCPFC/RFO-25041/09

Modalidade / Destinatários

Oficina de Formação de 50horas (25 Pres. 25 Trab. Aut.)

Professores dos Grupos 910, 920 e 930

Local de realização

Escola Secundária de Paredes

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 910, 920 e 930

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos Grupos 910, 920 e 930.

Cronograma

 janeiro: 17, 24, 31

fevereiro: 7, 14, 21

março: 6

abril: 24

Horário: 18:30_21:30 (último dia termina às 22:30)

OBJETIVOS A ATINGIR

Perceber as finalidades da educação e terapia psicomotora para prevenção/diminuição das dificuldades de aprendizagem; Identificar défices Psicomotores a partir da observação Psicomotora; Administrar materiais/métodos capazes de despistar/identificar possíveis dificuldades específicas de aprendizagem a partir da observação dos fatores psicomotores (Tonicidade; Equilibração; Lateralização; Noção do Corpo; estruturação espácio-Temporal; Praxia Global e Fina); Adequar atividades psicomotoras ao perfil psicomotor; Elaborar atividades de educação psicomotora como forma preventiva de dificuldades de aprendizagem; Elaborar atividades terapêuticas psicomotoras de acordo com os défices psicomotores identificados; Reavaliar programas psicomotores.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

Psicomotricidade: Evolução, definição e objetivos; O movimento: organização cortical do movimento e desenvolvimento motor; Aprendizagem motora; Àreas de intervenção da Psicomotricidade; Aspetos gerais da observação psicomotora; A psicomotricidade em crianças com necessidades educativas; Administração da bateria psicomotora; Educação e terapia psicomotora; Organização das atividades psicomotoras; Exercícios psicomotores para trabalhar a os aspetos respiratórios, da tonicidade, equilibração, lateralidade, noção do corpo, estruturação espacial e temporal, praxia global e praxia fina; Jogos lúdicos.

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Presencial

O projeto de oficina que se propõe, prevê alguns espaços de aprofundamento e debates teóricos, mas foi construído perspetivando metodologias centradas na atividade dos professores.dados para interpretação; reflexão/partilha de experiências resultantes das atividades realizadas. Apresentação dos trabalhos autónomos e avaliação.

Trabalho autónomo

Investigação bibliográfica;

Construção do Kit para as observações psicomotoras;

Experimentação das atividades com os alunos;

Registo das atividades psicomotoras aos seus alunos;

AVALIAÇÃO           

A avaliação dos formandos será feita tendo em conta os critérios: Participação dos formandos na ação; Resultados do Trabalho elaborado em grupo; Trabalho Final Individual (ou portefólio). Cada formando deverá apresentar um trabalho com os resultados da observação psicomotora dos seus alunos em pelo menos 2 fatores psicomotores à sua escolha e em função desses resultados apresentar um conjunto de atividades psicomotoras adequadas às características da turma tendo em conta as observações.O referencial da escala de avaliação é o previsto no n.º 2 do artigo 46º do Estatuto da Carreira Docente, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de Janeiro

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Formação de Professores no Programa Regional de Educação Sexual em Saúde Escolar (PRESSE)_AE Pinheiro_PD_F_63
Curso de formação
Candidaturas Abertas

Designação da ação / registo

“Formação de Professores no Programa Regional de Educação Sexual em Saúde Escolar (PRESSE)"

CCPFC/ACC-101175/18

Formador(a) / Registo dos formadores

Marta Fontes - CCPFC/RFO-36541/16

Modalidade / Destinatários

Curso de formação de 25 horas presenciais

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Local de realização

Agrupamento de Escolas do Pinheiro

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.

PS. Ao abrigo do disposto no artigo 6.º n.º 3, da Portaria n.º 196-A/2010, de 9 de abril, “As acções de formação realizadas por docentes no âmbito da educação para a saúde e educação sexual são consideradas, para todos os efeitos, como efectuadas na área correspondente ao seu grupo de recrutamento”

Cronograma

janeiro: 15, 22, 29

fevereiro: 5

horário: 

Objetivos a atingir

- Esclarecer o conceito de sexualidade e de educação sexual;
- Debater os diversos modelos existentes na promoção da educação sexual;
- Dar a conhecer a legislação portuguesa em matéria de educação sexual e os recursos existentes nesta área de intervenção;
- Clarificar o quadro ético e deontológico de atuação profissional em matéria de educação sexual;
- Dar a conhecer e debater os objetivos, principais conteúdos e a metodologia da educação sexual;
- Debater e conhecer os problemas em saúde sexual e reprodutiva e as necessidades em educação sexual nas crianças, jovens e adultos, tendo em atenção as diferenças etárias e os papéis de género;
- Capacitar os formandos para conhecerem de forma rigorosa as necessidades atuais em educação sexual das crianças, jovens e adultos;

Conteúdos da ação
O curso de formação, num total de 25h, que serão distribuídas pelos conteúdos, como se ilustra no quadro seguinte:
CONTEÚDOS / HORAS
Os conteúdos da formação PRESSE são os seguintes:
1. PRESSE (2 horas)
2. Sexualidade ao longo da vida (2 horas)
3. Saúde Sexual e Reprodutiva (6 horas)
4. Expressões da Sexualidade e Diversidade (4 horas)
5. Relações interpessoais (4 horas)
6. Psicossexualidade (2 horas)
7. Educação Sexual (ES) em Meio Escolar (4 horas)
8. Avaliação (1 hora)
Preenchimento de um questionário.

Metodologias de realização da ação

As atividades a realizar no curso decorrem em sessões presenciais, teórico/práticas, num total de 25 horas.
As sessões deverão ser de caráter predominantemente prático, com alguns momentos expositivos/demonstrativos.
Sugere-se a metodologia de aprendizagem por execução de tarefas. Salienta-se que as atividades integradoras devem ser desenvolvidas com a preocupação de ligação com os contextos e as vivências profissionais dos participantes.

Regime de avaliação dos formandos
Assiduidade e participação ativa nas sessões.
A avaliação obedecerá aos critérios estabelecidos pelo Centro de Formação, de acordo com orientações emanadas do
Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua.
Preenchimento de um questionário, com a menção qualitativa de:
1 a 4,9 valores – Insuficiente;
5 a 6,4 valores – Regular;
6,5 a 7,9 valores – Bom;
8 a 8,9 valores – Muito Bom;
9 a 10 valores - Excelente.
A avaliação final será de carácter quantitativo, na escala de 1 a 10 valores, com as seguintes menções qualitativas: de 1 a 4,9 valores – Insuficiente; 5 a 6,4 valores – Regular; 6,5 a 7,9 valores – Bom; 8 a 8,9 valores – Muito Bom; e 9 a 10 valores - Excelente.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Desenvolvimento e competências linguísticas no contexto do perfil do aluno_AE Cristelo_PD_F_33
Curso de formação
Candidaturas Abertas

Designação da ação / Registo de acreditação

Desenvolvimento e competências linguísticas no contexto do perfil do aluno

CCPFC/ACC-104525/19

Formador(a) / Registo dos formadores

Rui Manuel de Carvalho Loureiro - CCPFC/RFO-38476/17

Modalidade / Destinatários

Curso de Formação de 25 horas

Professores dos Grupos 100 e 110

Local de realização

Agrupamento de Escolas de Cristelo

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 100 e 110

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos Grupos 100 e 110

Cronograma

Janeiro 2020

dia 15 (quarta-feira) - 17h30 - 20h30

dia 17 (sexta-feira) - 17h30 - 20h30  

dia 22 (quarta-feira) - 17h30 - 20h30 

dia 29 (quarta-feira) - 17h30 - 20h30 

Fevereiro 2020

dia 7 (sexta-feira) - 17h30 - 20h30 

dia 12 (quarta-feira) - 17h30 - 20h30

dia 19 (quarta-feira) - 17h30 - 20h30

Março 2020

dia 4 (quarta-feira) - 17h30 - 21h30

Objetivos a atingir
- Definir os conceitos de Comunicação, Linguagem e Fala;
- Enunciar os principais marcos do desenvolvimento comunicativo, linguístico e articulatório;
- Enunciar instrumentos e estratégias para despiste e avaliação de dificuldades ao nível da Comunicação, Linguagem e Fala;
- Dotar os formandos de ferramentas que agilizem o diagnóstico precoce de necessidades na área da comunicação, linguagem e fala, assim como, de estratégias que potenciem o desenvolvimento das referidas áreas.
- Operacionalizar objetivos de intervenção dentro dos diferentes domínios e consequente aquisição das aprendizagens essenciais na disciplina de Português.

Conteúdos da ação
A formação constará em 7 sessões, encadeadas tendo por base uma perspetiva desenvolvimental, culminando na definição de perfis dos alunos e operacionalização de objetivos. Versarão didáticas, práticas, estado da arte e normativos da Educação, incluindo a recente legislação referente às aprendizagens essenciais no ensino básico.
Estabelecem-se as temáticas abaixo descritas, de acordo com o seguinte cronograma:

1ª sessão - Desenvolvimento da comunicação, linguagem e fala (6h)
a) -Idade Pré-Escolar
b) - Idade Escolar
2ª sessão - Perfil dos alunos e competências linguísticas (3h)
3ª sessão – Avaliação diferenciada das competências linguísticas (3h)
4ª sessão - Atividades e estratégias promotoras do desenvolvimento comunicativo e linguístico (6h)
a ) - estratégias de intervenção
b) - construção de materiais adequados à prática letiva
5ª sessão - Perturbações da aprendizagem especifica (dislexia) - 3h
6ª sessão - Discussão de casos : avaliação e intervenção (3h)
7ª sessão - Avaliação da formação (1h)

Serão convidados :
Dra. Juliana Pinto, Psicóloga da Educação, Instituto do Desenvolvimento
Dra. Diana Fernandes, Terapeuta Ocupacional, Instituto do Desenvolvimento

Metodologias de realização da ação

Predomina a componente teórico-prática, combinando as metodologias expositiva, demonstrativa e ativa (incluindo trabalho em grupo).
Sugere-se a metodologia de aprendizagem por execução de tarefas e salienta-se que as atividades integradoras devem ser desenvolvidas com a preocupação de ligação com os contextos e as vivências profissionais dos formandos.
Esta formação desenvolver-se-á a partir do mês de janeiro e terminará durante o mês de abril.

Regime de avaliação dos formandos
Os formandos serão sujeitos a uma avaliação contínua, sistemática e quantitativa de acordo com:
- participação nas sessões
- reflexão escrita, individual, sobre os conteúdos abordados
A classificação final será a uniformizada em conformidade com o enquadramento legal.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

 

A Expressão Musical na Educação Pré-Escolar e no 1.º Ciclo. Possível Abordagem_AE Paredes_PD_F_32
Oficina de formação
Candidaturas Abertas

Designação da ação / Registo de acreditação

A Expressão Musical na Educação Pré-Escolar e no 1.º Ciclo. Possível Abordagem / CCPFC/ACC-92320/17

Formador(a) / Registo dos formadores

Helena Borges / CCPFC/RFO-37730/17

Modalidade / Destinatários

Oficina de Formação – 50horas (25h+25H)

Educadores de Infância e Professores do 1º Ciclo do Ensino Básico

Local de realização

Agrupamento de Escolas do Paredes

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores do 1º Ciclo do Ensino Básico

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores do 1º Ciclo do Ensino Básico

Cronograma

13 de janeiro - 18h às 21h

20 de janeiro - 18h às 21h

27 de janeiro - 18h às 21h

3 de fevereiro - 18h às 21h

10 de fevereiro - 18h às 21h

9 de março - 18h às 21h

16 de março - 17h30m às 21h30m

OBJETIVOS A ATINGIR

Consciencializar da importância da Expressão Musical no desenvolvimento de uma criança;

- Dotar os professores de competências para que possam dinamizar no espaço de sala de aula atividades de música em contexto interdisciplinar;

- Elaboração de planificações, de ferramentas bem como de atividades para a sua aplicação nas suas aulas e que favoreçam a imaginação, a criatividade e até o sentido estético;

- Domínio de competências que lhes permitam diversificar nas atividades de Expressão Musical dentro e fora da sala de aula.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

A expressão musical está intimamente relacionada com a educação musical que se desenvolve, na educação pré-escolar bem como no 1º ciclo, em torno de cinco eixos fundamentais:

ESCUTAR - A exploração das características dos sons passa por escutar, identificar e reproduzir sons e ruídos da natureza - água a correr, vento, "vozes" dos animais,….. - e da vida do dia a dia, como o tic-tac do relógio, a campainha do telefone ou motor do automóvel, …

CANTAR - A relação entre a música e a palavra é uma outra forma de expressão musical. Cantar é uma atividade habitual na educação pré-escolar que pode ser enriquecida pela produção de diferentes formas de ritmo com a utilização de diferentes dinâmicas.

- DANÇAR – A dança como forma de ritmo produzido pelo corpo liga-se à expressão motora e permite que as crianças exprimam a forma como sentem a música, criem formas de movimento ou aprendam a movimentar-se, seguindo a música. Também, pode ser uma forma aliciante de trabalhar a turma como um todo.

TOCAR e CRIAR – Existem instrumentos de percussão simples que podem ser construídos pelas crianças, utilizando material reciclável ou podem, também utilizar instrumentos musicais mais complexos, como por exemplo – Boomwackers, jogos de sinos, triângulos, pandeiretas, xilofones, …

Sendo assim, a Expressão Musical é uma das atividades que pode proporcionar à criança um enriquecimento de vivências sonoras que podem ser implementadas através de atividades lúdicas e que passam por uma experimentação e domínio progressivo do corpo e da voz.

Os conteúdos desta ação vão ser desenvolvidos e operacionalizados através das seguintes atividades:

♪ Jogos de Exploração – Através do corpo, da voz e dos instrumentos;

♪ A música e o“faz de conta…” – Através das histórias ou seres imaginários;

♪ A música para as Crianças Especiais – Musicoterapia para todos

Está previsto trabalho individual/grupo, a desenvolver nas sessões autónomas

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Sessões de Trabalho Presencial – 25 horas / Sessões de Trabalho Autónomo – 25 horas

Nas sessões presenciais serão desenvolvidas atividades de natureza diversificada como por exemplo:

- Sessões expositivas em formato Powerpoint;

- Sessões auditivas para exemplificação de algumas das atividades e com a participação dos formandos,

- Sessões com movimento corporal;

Assim, numa 1ª fase, (19 horas) haverá uma breve apresentação dos formandos bem como do respetivo formador. Cada formando deverá relatar a sua experiência na área e apontar as suas dificuldades sobre como implementar a Expressão Musical nas suas aulas. Poderá ainda apresentar a sua representação sobre a forma como gostaria de trabalhar com as suas crianças/alunos.

Depois de abordadas as questões teóricas e conceptuais da Expressão Musical na educação pré-escolar e 1.º ciclo, os formandos elaboram as planificações do trabalho a realizar em sala de aula.

Numa 2ª fase, (25 horas autónomas) os formandos cumprem a planificação realizada e registam o trabalho com os alunos

Numa 3ª fase, (6 horas) teríamos a apresentação de uma das atividades em ambiente de sala de aula em formato powerpoint, exposição oral/ou gravação áudio e vídeo e a avaliação em grupo/individual do trabalho realizado

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação dos formandos será feita tendo em conta os fatores:

1. Participação nas atividades, sessões presenciais, da ação

2. Apresentação de resultados do trabalho autónomo

3. Trabalho Final dos Formandos

O referencial da escala de avaliação é o previsto no n.º 2 do artigo 46º do Estatuto da Carreira Docente, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de janeiro:

*Excelente – de 9 a 10 valores

*Muito Bom – de 8 a 8.9 valores

*Bom – de 6.5 a 7.9 valores

*Regular – de 5 a 6.4 valores

*Insuficiente – de 1 a 4.9 valores

Não são certificados formandos cuja assiduidade seja inferior a dois terços da duração da ação de formação, conforme o entendimento do CCFC, descrito no ponto n.º 2 da Carta Circular CCPFC 1/2007.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Introdução à Folha de Cálculo – Microsoft Excel_AE Pinheiro_PD_F_60
Curso de formação
Candidaturas Abertas

Introdução à Folha de Cálculo – Microsoft Excel_CCPFC/ACC-92595/17

Formador(a)

Filipe Mendes

Modalidade / Destinatários

Curso de formação de 15 horas presenciais

Professores dos 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e do Ensino Secundário

Local de realização

Agrupamento de Escolas do Pinheiro

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e do Ensino Secundário

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente acção não releva para a progressão em carreira.

JANEIRO

13, 16, 20, 23 e 27

18:30_21:30

OBJETIVOS A ATINGIR

•Debater e aplicar as várias funcionalidades da folha de cálculo (Familiarizar-se com o Microsoft Excel,

•Conhecer e utilizar as várias potencialidades do Microsoft Excel);

•Fornecer aos professores o conhecimento e as bases para a utilização da folha de cálculo na sua prática

diária;

•Reflectir sobre o impacto da utilização da folha de cálculo e o seu potencial;

•Permitir aos professores utilizar novas práticas no seu dia-a-dia (Ex. Correcção de provas, avaliação, preparação

de aulas, desenvolvimento de recursos);

•Promover a produção de recursos utilizando as novas tecnologias;

•Promover a partilha e divulgação de materiais entre os vários professores e alunos;

•Promover e incentivar a auto-formação.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

1.          Conceitos gerais sobre folhas de cálculo: (0,5 horas)

1.1.      Elementos principais de uma folha de cálculo.

1.2.      Operadores aritméticos, relacionais e de referência.

1.3.      Funções básicas.

2.          Ambiente de trabalho de uma folha de cálculo: (0,5 horas)

2.1.      Estrutura geral.

2.2.      Friso.

2.3.      Separadores.

3.          Propriedades de um livro. (0,5 horas)

4.          Temas. (0,5 horas)

5.          Inserção de dados. (0,5 horas)

6.          Formatação de células. (0,5 horas)

7.          Ordenação. (0,5 horas)

8.          Transferência (copiar, cortar e colar). (0,5 horas)

9.          Formatação condicional. (0,5 horas)

10.       Manipulação de colunas/linhas. (0,5 horas)

11.       Funções básicas: (2 horas)

11.1.    Soma.

11.2.    Média.

11.3.    Máximo.

11.4.    Mínimo.

11.5.    Contar.

11.6.    Se.

12.       Fórmulas simples, utilizando os operadores aritméticos. (2 horas)

13.       Manipulação de funções e fórmulas: (2 horas)

13.1.    Preenchimento automático.

13.2.    Referências relativas, absolutas e mistas.

14.       Manipulação de imagens. (0,5 horas)

15.       Organização de folhas. (0,5 horas)

16.       Configuração de folhas: (2 horas)

16.1.    Orientação.

16.2.    Margens.

16.3.    Alinhamento.

16.4.    Cabeçalhos e rodapés.

17.       Integração de tabelas e de gráficos no Word e no PowerPoint. (0,5 horas)

18.       Gravação em diferentes formatos e localizações (0,5 horas)

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Metodologia Teórico prática, com o recurso à utilização de fichas auto-guiadas, de forma a incentivar o trabalho autónomo do docente com a Folha de Cálculo.

AVALIAÇÃO           

•Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais

•Trabalhos práticos efectuados nas sessões presenciais e reflexão crítica final, de acordo com os critérios previamente estabelecidos, classificados nas escola de 1 a 10, conforme indicado na Carta Circular CCPFC – 3/2007 – Setembro 2007, com a menção qualitativa de:

   1 a 4,9  valores – Insuficiente;

   5 a 6,4 valores – Regular;

   6,5 a 7,9 valores – Bom;

   8 a 8,9 valores – Muito Bom;

  9 a 10 valores -  Excelente.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

A IMAGEM, DO ANALÓGICO AO DIGITAL_AE Frazão_PD_F_42
Oficina de formação
Candidaturas Abertas

Designação da ação / Registo de acreditação

A IMAGEM, DO ANALÓGICO AO DIGITAL_CCPFC/ACC-103587/19

Formador(a) / Registo dos formadores

ARMANDO JORGE BRÁS BRANQUINHO AFONSO

CCPFC/RFO-24734/08

Modalidade / Destinatários

Oficina de Formação (25h presenciais+ 25h Trab.Autónomo)

Professores dos Grupos 240, 530 e 600

Local de realização

Agrupamento de Escolas do Frazão

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 240, 530 e 600.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos Grupos 240, 530 e 600.

Cronograma

janeiro

13 - 17:30 – 21:30 (4 horas);  

15, 20, 22 e 27 - 17:30 – 20:30 (3 horas);

29 - 17:30 – 21:30 (4 horas);  

março

2 e 4 - 17:30 – 20:00 (2:30);  

OBJETIVOS A ATINGIR

O professor poderá, a partir do estudo do fenómeno ótico e da tecnologia de captação de imagem e consequente usabilidade de um programa de edição de imagem, contactar e analisar a versatilidade que o processo construtivo de uma imagem encerra atualmente. Ao experimentar, discutir e criar usando artisticamente as novas tecnologias, inteirando-se das suas potencialidades, mas também das suas limitações, o professor poderá alargar o espaço criativo dentro da sala de aula, motivando os alunos para uma abordagem dinâmica no que respeita ao sentido atual de conceitos como multimédia, comunicação, conetividade, interface , hipertexto e New Media Art.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

A Fotografia: O conceito de Fotografia; Historia e Evolução; A Fotografia como memória; A Fotografia como Arte; O Futuro da Fotografia.    

 A Captação de imagem: O sistema analógico e o sistema digital, diferenças e confluências; A Captação de imagens a partir da máquina fotográfica, do scanner e do smartphone; Arquivo e armazenamento de imagem.   

Gimp 2.8 (GNU – Image Manipulation Program); O interface, menus e comandos; A caixa e o controlo de ferramentas; A edição/produção de imagem; Execução de trabalhos práticos.               

Apresentação / debate sobre o trabalho resultante da experimentação efetuada na sala de aula. Reflexão e avaliação.

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

A partir de informação visual exemplificativa irá proceder-se ao desenvolvimento dos conteúdos da Oficina de Formação, tendo em conta a ligação entre a parte teórica e as possibilidades de aplicação prática destes conteúdos na prática letiva e no contexto escolar.

Experimentação / produção de materiais, tanto individualmente como na sala de aula, num total de 25 horas. A apresentação dos trabalhos permitirá a criação de um espaço reflexivo onde, a partir da apresentação e análise dos trabalhos efetuados em contexto escolar, se procederá à troca e partilha de experiências bem como à avaliação do próprio projeto formativo.

AVALIAÇÃO           

A avaliação dos formandos será feita tendo em conta os fatores:

1.         Participação nas atividades, sessões presenciais, da ação

2.          Apresentação de resultados do trabalho autónomo

3.          Trabalho Final dos Formandos

O referencial da escala de avaliação é o previsto no n.º 2 do artigo 46º do Estatuto da Carreira Docente, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de janeiro:

*Excelente – de 9 a 10 valores

*Muito Bom – de 8 a 8.9 valores

*Bom – de 6.5 a 7.9 valores

*Regular – de 5 a 6.4 valores

*Insuficiente – de 1 a 4.9 valores

Não são certificados formandos cuja assiduidade seja inferior a dois terços da duração da ação de formação, conforme o entendimento do CCFC, descrito no ponto n.º 2 da Carta Circular CCPFC 1/2007.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Observação, Educação e terapia psicomotora_AE Sudeste_PD_F52
Oficina de formação
Candidaturas Abertas

Observação, Educação e terapia psicomotora

CCPFC/ACC-105336/19

Formador(a) / Registo dos formadores

PEDRO MIGUEL TEIXEIRA FLORES

TERESA MARINA BARBOSA DE MAGALHÃES

CCPFC/RFO-22045/07

CCPFC/RFO-25041/09

Modalidade / Destinatários

Oficina de Formação de 50horas (25 Pres. 25 Trab. Aut.)

Professores dos Grupos 910, 920 e 930

Local de realização

Agrupamento de Escolas de Penafiel Sudeste

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 910, 920 e 930

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos Grupos 910, 920 e 930.

Cronograma

 janeiro: 13, 20, 27

fevereiro: 3, 10, 17

março: 2

abril: 20

Horário: 18:30_21:30 (último dia termina às 22:30)

OBJETIVOS A ATINGIR

Perceber as finalidades da educação e terapia psicomotora para prevenção/diminuição das dificuldades de aprendizagem; Identificar défices Psicomotores a partir da observação Psicomotora; Administrar materiais/métodos capazes de despistar/identificar possíveis dificuldades específicas de aprendizagem a partir da observação dos fatores psicomotores (Tonicidade; Equilibração; Lateralização; Noção do Corpo; estruturação espácio-Temporal; Praxia Global e Fina); Adequar atividades psicomotoras ao perfil psicomotor; Elaborar atividades de educação psicomotora como forma preventiva de dificuldades de aprendizagem; Elaborar atividades terapêuticas psicomotoras de acordo com os défices psicomotores identificados; Reavaliar programas psicomotores.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

Psicomotricidade: Evolução, definição e objetivos; O movimento: organização cortical do movimento e desenvolvimento motor; Aprendizagem motora; Àreas de intervenção da Psicomotricidade; Aspetos gerais da observação psicomotora; A psicomotricidade em crianças com necessidades educativas; Administração da bateria psicomotora; Educação e terapia psicomotora; Organização das atividades psicomotoras; Exercícios psicomotores para trabalhar a os aspetos respiratórios, da tonicidade, equilibração, lateralidade, noção do corpo, estruturação espacial e temporal, praxia global e praxia fina; Jogos lúdicos.

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Presencial

O projeto de oficina que se propõe, prevê alguns espaços de aprofundamento e debates teóricos, mas foi construído perspetivando metodologias centradas na atividade dos professores.dados para interpretação; reflexão/partilha de experiências resultantes das atividades realizadas. Apresentação dos trabalhos autónomos e avaliação.

Trabalho autónomo

Investigação bibliográfica;

Construção do Kit para as observações psicomotoras;

Experimentação das atividades com os alunos;

Registo das atividades psicomotoras aos seus alunos;

AVALIAÇÃO           

A avaliação dos formandos será feita tendo em conta os critérios: Participação dos formandos na ação; Resultados do Trabalho elaborado em grupo; Trabalho Final Individual (ou portefólio). Cada formando deverá apresentar um trabalho com os resultados da observação psicomotora dos seus alunos em pelo menos 2 fatores psicomotores à sua escolha e em função desses resultados apresentar um conjunto de atividades psicomotoras adequadas às características da turma tendo em conta as observações.O referencial da escala de avaliação é o previsto no n.º 2 do artigo 46º do Estatuto da Carreira Docente, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de Janeiro

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Criação de materiais didático-pedagógicos de apoio à aprendizagem_AE Paços de Ferreira_PD_F_53
Oficina de formação
Candidaturas Abertas

Designação da ação / Registo de acreditação

Criação de materiais didático-pedagógicos de apoio à aprendizagem

CCPFC/ACC-CCPFC/ACC-103934/19

Formador(a) / Registo dos formadores

Clara Margarida Branco da Cunha

CCPFC/RFO-34439/14

Modalidade / Destinatários

Oficina de formação (13h+13h)

Professores dos Grupos 910, 920, 930

Local de realização

Agrupamento de Escolas de Paços de Ferreira

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 910, 920, 930

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos Grupos 910, 920, 930.

CRONOGRAMA

10 janeiro - 18,30h/20,30h (2h)

17 janeiro - 18,30h/20,30h (2h)

18 janeiro - 9h/13h (4h)

14 fevereiro - 18,30h/20,30h (2h)

15 fevereiro  - 10h/13h (3h)

OBJETIVOS A ATINGIR

Utilizar estratégias de trabalho colaborativo na resolução de problemas no âmbito da Educação Inclusiva;

Melhorar a prática do professor para favorecer a melhoria do desempenho dos alunos;

Promover hábitos de reflexão individual e coletiva com o fim de enriquecer as práticas;

Partilhar materiais didáticos elaborados ou adotados durante a oficina de formação;

Construir, testar, reformular e partilhar materiais pedagógicos;

Desenvolver metodologias de investigação-ação;

Desenvolver competências e saberes;

Produzir materiais didáticos cientificamente válidos..

CONTEÚDOS DA AÇÃO

- Princípios orientadores da Educação Inclusiva;

- Medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão;

- Criação de portfólio de instrumentos didático-pedagógicos de apoio à aprendizagem;

- Realização de algumas das atividades selecionadas para os diferentes portfólios;

- Conceção e validação de instrumentos didático-pedagógicos de apoio à aprendizagem;

- Apresentação dos trabalhos finais e avaliação da ação.

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

  1. Sessões presenciais (13h) apresentação de conceitos e objetivos inerentes; Seriação de instrumentos didático-pedagógicos pela sua relevância, aplicabilidade e eficácia; Realização e troca de experiências e métodos entre os formandos; Conceção e validação de instrumentos didático-pedagógicos. Nas últimas sessões presenciais os docentes/formandos avaliarão a implementação e a ação.

b)          O trabalho autónomo (13h) experimentação com os alunos dos instrumentos didático-pedagógicos concebidos em contexto de formação

AVALIAÇÃO           

A avaliação dos formandos será feita tendo em conta os critérios:

Participação dos formandos na ação; Resultados do Trabalho elaborado em grupo (planificação de uma aula de expressão musical); Trabalho Final Individual (ou portefólio). O referencial da escala de avaliação é o previsto no n.º 2 do artigo 46º do Estatuto da Carreira Docente, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de Janeiro.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Novo Regime Jurídico da Educação Inclusiva_AE Joaquim Araújo_PD_F_59
Oficina de formação
Candidaturas Abertas

Novo Regime Jurídico da Educação Inclusiva_CCPFC/ACC-102749/19

Formador(a) / Registo dos formadores

Fátima Carvalho_CCPFC/RFO-10380/00

Modalidade / Destinatários

Oficina de formação de 50 horas (25h P+25h TA)

Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e Professores de Educação Especial

Local de realização

Agrupamento de Escolas Joaquim Araújo

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e Professores de Educação Especial.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente acção não releva para a progressão em carreira.

Cronograma:

07/01 - 18:30 - 21h - 2h30 min

14/01 - 18:30 - 21:30 - 3h

28/01 - 18:30 - 21h - 2h30 min

04/02 - 18:30 - 21:30 - 3h

18/02 - 18:30 - 21h - 2h30 min

03/03 - 18:30 - 21:30 - 3h

10/03 - 18:30 - 21h - 2h30 min

24/03 - 18:30 - 21:30 - 3h

30/03 - 18:30 - 21:30 - 3h

 

OBJETIVOS A ATINGIR

Capacitar docentes para a implementação do novo enquadramento legal da educação inclusiva.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

1. Enquadramento concetual da educação inclusiva;

2. Enquadramento legal da educação inclusiva -(DL 54/2018, DL 55/2018, Perfil do Aluno à saída da Escolaridade Obrigatória e Flexibilização Curricular);

3. O trabalho em equipa multidisciplinar ;

4. Estudo de casos;

5. Desenho universal para a aprendizagem.

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Construção do desenho universal para a aprendizagem aplicado a casos reais de alunos;  Elaboração dos documentos previstos no Manual de Apoio à Prática adequados a casos reais de alunos; Apresentação e discussão do trabalho autónomo; eventual reformulação dos materiais construídos

Aplicação do desenho universal para a aprendizagem aplicado a casos reais de alunos;  Aplicação dos documentos previstos no Manual de Apoio à Prática adequados a casos reais de alunos;

Aplicação dos materiais e recursos específicos de apoio à aprendizagem e à inclusão a disponibilizar no Centro de Apoio às Aprendizagens.

AVALIAÇÃO           

Avaliação com base na:  Participação nas sessões – dinâmica e qualidade das intervenções; portefólio, físico ou digital, com os trabalhos realizados individualmente e em grupo; Apresentação do trabalho autónomo; trabalho final.

 Serão utilizados os parâmetros de avaliação estabelecidos (tabela de 1 a 10 valores) e respeitados  todos os dispositivos legais da avaliação contínua, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015 de 6 de maio.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Para o desenvolvimento de uma escola inclusiva_AE Ferreira Gomes_PD_F_70
Curso de formação
Candidaturas Abertas

Designação da ação / Registo de acreditação

- Para o desenvolvimento de uma escola inclusiva- / CCPFC/ACC-93744/18

Formador(a) / Registo dos formadores

Liliana Nunes / CCPFC/RFO-31676/12

Modalidade / Destinatários

Curso de Formação de 25 horas

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Local de realização

AE D. António Ferreira Gomes

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para a progressão em carreira.

Despacho 6851-A/2019

«Artigo 3.º

5 — As ações de formação realizadas sobre os conteúdos regulados nos números 1 e 4 do presente artigo no período compreendido entre 1 de setembro de 2016 e 31 de julho de 2020 são excecionalmente consideradas como efetuadas na dimensão científico -pedagógica de todos os grupos de recrutamento, independentemente do disposto no n.º 2.»

Cronograma

07/01/2020 – 17:00h-21:00h

09/01/2020 – 17:00h-21:00h

14/01/2020 – 17:00h-21:00h

16/01/2020 – 17:00h-21:00h

21/01/2020 – 17:00h-21:30h

23/01/2020 – 17:00h-21:30h

OBJETIVOS A ATINGIR

•Capacitar docentes para a formação e sua replicação sobre a implementação do novo enquadramento legal da educação inclusiva.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

1.Enquadramento concetual da educação inclusiva (2h)

2.Os Direitos - famílias e crianças (2h)

3.Desenho universal para a aprendizagem (3h)

4.O trabalho em equipa multidisciplinar (2h)

5.Enquadramento legal da educação inclusiva (16h)

Conceitos, princípios-chave e definições operacionais; Recursos específicos de apoio à aprendizagem e à inclusão; Medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão; Determinação da necessidade de suportes à aprendizagem e à inclusão; Avaliação de competências e conhecimentos, progressão e certificação

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

•Apresentação do enquadramento legal da educação inclusiva;

•Análise e discussão de conceitos;

•Análise de documentos legislativos e enquadradores da intervenção;

•Reflexão sobre conceitos e práticas.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Avaliação com base na:

•Participação nas sessões – dinâmica e qualidade das intervenções.

•Apresentação de um trabalho elaborado individualmente

Serão utilizados os parâmetros de avaliação estabelecidos (tabela de 1 a 10 valores) e respeitados todos os dispositivos legais da avaliação contínua, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015 de 6 de maio

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

ACD_Meditação transcendental e competências docentes para a promoção do sucesso_Sec. Paredes_PD_F_13
Ação de curta duração
Candidaturas Abertas

Meditação transcendental e competências docentes para a promoção do sucesso

Local: Escola Secundária de Paredes

Orador: José Lopes

Cronograma: 4 e 6 de dezembro de 2019

16:00 – 19:00 dia 4

14:30 – 17:30 dia 6

O Ensino do Yoga no contexto de aulas de educação física_Sec. Penafiel_PF_F_22
Curso de formação
Candidaturas Encerradas

Designação da ação / Registo de acreditação

O ensino do Yoga no contexto de aulas de Educação Física / CCPFC/ACC-103362/19

Formador(a) / Registo dos formadores

Sónia Monteiro / CCPFC/RFO-18799/05

Modalidade / Destinatários

Curso de Formação de 25 horas

Professores de Educação Física dos grupos 260 e 620.

Local de realização

Escola Secundária de Penafiel

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Educação Física dos grupos 260 e 620.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores de Educação Física dos grupos 260 e 620.

Cronograma

Novembro

22(6.ªfeira)   17h_21h              

23(sábado)   9h_13:30            

29 (6.ªfeira)   17h_21h             

30 (sábado)   9h_13:30           

Dezembro

13(6.ºfeira)   17h_21h              

14(sábado)   9h_13 h

OBJETIVOS A ATINGIR

Sensibilizar e habilitar professores dos conhecimentos básicos, competências e capacidades para desenvolver uma aula de yoga adequada aos alunos de diferentes níveis de ensino, quer se trate do pré-escolar, dos 1º, 2º e/ou 3º ciclos, nomeadamente nos seguintes aspetos:

· conhecer os fundamentos da prática de yoga

· articular e complementar a prática de yoga com o programa escolar, e utilizar algumas técnicas em aquecimentos ou momentos de recuperação/fecho de aulas

· adoptar hábitos de vida mais conscientes e sustentáveis

· incentivar a participação e o aumento da concentração dos alunos no planeamento e gestão das atividades.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

· incentivar a participação e o aumento da concentração dos alunos no planeamento e gestão das atividades.

Conteúdos da ação

Apresentação- 1 hora

Tipos de Yoga - 2 hora

Fundamentos e código de ética - 2 horas

Técnicas respiratórias - 3 horas

Técnicas corporais - 7 horas

Relaxamento e meditação - 3 horas

Aula modelo - 2 horas

Aula em dupla e acro-yoga - 3 horas

Avaliação - 2 hora

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

As sessões serão Teórico/Práticas com as seguintes metodologias:

1. Método expositivo;

2. Método demostrativo;

3. Método ativo (manipulação de materiais e equipamentos).

A metodologia servirá os propósitos teóricos e práticos do Yoga enquanto alternativa curricular.

Nesse sentido, serão apresentadas as posturas mais usuais do yoga pra todos os níveis de ensino, as ásanas e as mudras e os benefícios físicos daí resultantes:

Não se descurará, evidentemente, a filosofia que está ligada a esta prática milenar.

Logo, o método demonstrativo, logo seguido de aplicação prática e vivência de experiencial dos formandos vai ser o método de eleição.

A teoria e a prática estarão sempre em perfeita simbiose em todas as sessões, como se poderá verificar pela organização da formação que nos propomos implementar.

Sugestão de organização das sessões

Sessão 1 (5 horas)

Apresentação (T) - 1 hora

Tipos de Yoga (T) - 2 horas

Fundamentos e código de ética (T e P) - 2 horas

Sessão 2 (5 horas)

Técnicas respiratórias (T e P) - 3 horas

Técnicas corporais (T e P) - 2 horas

Sessão 3 (5 horas)

Técnicas corporais (T e P) - 5 horas

Sessão 4 (5 horas)

Relaxamento e Meditação (T e P) - 3 horas

Aula modelo (T) - 2 horas

Sessão 5 (3 horas)

Aula em dupla e acro-yoga (P) - 3 horas

Sessão 6 (2 horas)

Avaliação (T) - 2 horas

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

- Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presencias.

- Trabalhos práticos e reflexões efectuadas a partir das e nas sessões presenciais, de acordo com os critérios previamente estabelecidos, classificados nas escola de 1 a 10, com a menção qualitativa de:

1 a 4,9 valores – Insuficiente

5 a 6,4 valores – Regular

6,5 a 7,9 valores – Bom

8 a 8,9 valores – Muito Bom

9 a 10 valores - Excelente

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente dos grupos 260 ou 620 das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 1 de outubro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

PND_F_03_A revisão do código dos contratos públicos _AE Vilela
Curso de formação
Candidaturas Encerradas

A revisão do código dos contratos públicos

DGAE/23/2017

Formador(a) /Destinatários

Joaquim Fernando Coelho

Assistentes técnicos

Modalidade / Local de realização

Curso de formação _25 horas

Agrupamento de Escolas Vilela

Cronograma

novembro:     20, 28 das 14:00_18:00

dezembro:        4, 11, 18 das 14:00_18:00

                         19 das 14:00_19:00

OBJETIVOS A ATINGIR

- Capacitar o formando para conhecer e compreender as principais novidades resultantes da revisão ao Código dos Contratos Públicos;

- Reconhecer a terminologia e compreender os conceitos base e estrutura sistemática do Código dos Contratos Públicos;              

- Análise da tipologia de procedimentos na contratação e dos critérios de escolha dos procedimentos;  

- Realçar a importância do Ajuste Direto no âmbito da contratação a promover pelas Escolas;  

- Capacitar o formando para a escolha do procedimento;     

- Capacitar o formando para a elaboração das peças de procedimento;           

- Identificar e clarificar os limites e impedimentos no Ajuste Direto;    

- Conhecer os dispositivos legais referentes à utilização de Plataformas Eletrónicas, com especial enfoque no utilizador Escola;  

- Identificar e distinguir as diferentes Plataformas Eletrónicas.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

1. A revisão do Código dos Contratos Públicos – 5h         

1.1. Principais alterações

1.2. As novas regras na formação e execução contratual

2. A Preparação do procedimento de contratação – 5h         

2.1. Planeamento, consulta preliminar e divisão em lotes 2.2. Os critérios de escolha de procedimentos2.3. Novos tipos de procedimentos pré-contratuais

3. A fase de apresentação de propostas – 5h        

 3.1. O novo regime dos esclarecimentos, retificação e alteração das peças procedimentais

3.2. O novo regime de esclarecimentos e suprimento de propostas e candidaturas

4. A fase de adjudicação – 5h         

4.1. Novos critérios de adjudicação;

4.2. Causas de não adjudicação [os impedimentos e o preço ou custo anormalmente baixo]

5. Acordos Quadro – 5h        

 5.1. Novas regras de contratação ao abrigo de Acordo Quadro

5.2. As Centrais de Compras

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS    

Participação (%) :   20          

Assiduidade (%) :               20          

Teste escrito / Trabalhos (%) :60

Avaliação da acção   

Questionário a preencher pelos formandos para avaliar a acção

 

Criação de materiais didático-pedagógicos de apoio à aprendizagem_AE Joaquim Araújo_PD_F_55
Oficina de formação
Candidaturas Abertas

Designação da ação / Registo de acreditação

Criação de materiais didático-pedagógicos de apoio à aprendizagem

CCPFC/ACC-103934/19

Formador(a) / Registo dos formadores

Clara Margarida Branco da Cunha

CCPFC/RFO-34439/14

Modalidade / Destinatários

Oficina de formação (13h+13h)

Professores dos Grupos 910, 920, 930

Local de realização

Agrupamento de Escolas de Joaquim de Araújo

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 910, 920, 930

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos Grupos 910, 920, 930.

CRONOGRAMA

24 janeiro - 18,30h/20,30h (2h)

25 janeiro - 10h/13h (3h)

1 fevereiro - 10h/13h (3h)

6 março - 18,30h/20,30h (2h)

7 março - 10h/13h (3h)

OBJETIVOS A ATINGIR

Utilizar estratégias de trabalho colaborativo na resolução de problemas no âmbito da Educação Inclusiva;

Melhorar a prática do professor para favorecer a melhoria do desempenho dos alunos;

Promover hábitos de reflexão individual e coletiva com o fim de enriquecer as práticas;

Partilhar materiais didáticos elaborados ou adotados durante a oficina de formação;

Construir, testar, reformular e partilhar materiais pedagógicos;

Desenvolver metodologias de investigação-ação;

Desenvolver competências e saberes;

Produzir materiais didáticos cientificamente válidos..

CONTEÚDOS DA AÇÃO

- Princípios orientadores da Educação Inclusiva;

- Medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão;

- Criação de portfólio de instrumentos didático-pedagógicos de apoio à aprendizagem;

- Realização de algumas das atividades selecionadas para os diferentes portfólios;

- Conceção e validação de instrumentos didático-pedagógicos de apoio à aprendizagem;

- Apresentação dos trabalhos finais e avaliação da ação.

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

  1. Sessões presenciais (13h) apresentação de conceitos e objetivos inerentes; Seriação de instrumentos didático-pedagógicos pela sua relevância, aplicabilidade e eficácia; Realização e troca de experiências e métodos entre os formandos; Conceção e validação de instrumentos didático-pedagógicos. Nas últimas sessões presenciais os docentes/formandos avaliarão a implementação e a ação.

b)          O trabalho autónomo (13h) experimentação com os alunos dos instrumentos didático-pedagógicos concebidos em contexto de formação

AVALIAÇÃO           

A avaliação dos formandos será feita tendo em conta os critérios:

Participação dos formandos na ação; Resultados do Trabalho elaborado em grupo (planificação de uma aula de expressão musical); Trabalho Final Individual (ou portefólio). O referencial da escala de avaliação é o previsto no n.º 2 do artigo 46º do Estatuto da Carreira Docente, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de Janeiro.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas ao CfaePPP *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 19 de novembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Ações a Decorrer

Trabalho experimental em Física e Química para o Ensino Básico e Secundário_Sec. Penafiel_PD_F_25
Oficina de formação
A Decorrer

Designação da ação / Registo de acreditação

Trabalho experimental em Física e Química para o Ensino Básico e Secundário

CCPFC/ACC-89419/17

Formador(a) / Registo dos formadores

Adriano Nery

CCPFC/RFO-25283/09

Modalidade / Destinatários

Oficina de Formação de 36 horas (18 horas presenciais e 18 horas de trabalho autónomo)

Professores do Grupo 510 dos Ensinos Básico (3º Ciclo) e Secundário

Local de realização

Escola Secundária de Penafiel das 17h às 20h

19  e 26     novembro 2019

03              dezembro

07, 13 e 21            janeiro

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 510 dos Ensinos Básico (3º Ciclo) e Secundário

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores do Grupo 510 dos Ensinos Básico (3º Ciclo) e Secundário

OBJETIVOS A ATINGIR

• Promover a melhoria de competências experimentais dos professores fornecendo apoio quer a nível teórico quer a nível prático de modo a contribuir para a implementação das atividades experimentais enquadradas no âmbito dos programas curriculares de Física e Química A (10º e 11º anos) e Química (12º ano) e das orientações curriculares dos 7􀀀, 8􀀀 e 9􀀀anos do Ensino Básico;

• Otimizar os recursos materiais e os equipamentos laboratoriais existentes em cada escola.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

Esta ação de formação tem caráter teórico e prático-laboratorial. Para que os formandos possam adquirir uma visão global das diferentes técnicas e do funcionamento dos equipamentos agregam-se nesta formação diferentes experiências e metodologias de trabalho enquadradas nas componentes de Química e de Física dos programas dos Ensino Básico e Secundário.

Os conteúdos da ação serão desenvolvidos em módulos:

Sessão 1 – Enquadramento científico e didático das temáticas abordadas na ação de formação. Organização de grupos de trabalho (1 h).

Sessão 2 – “Reações em sistemas aquosos – reações de oxidação-redução” (3 h)

2.1 Enquadramento teórico.

2.2 Atividade experimental – “Série Eletroquímica”.

Sessão 3 – “Instrumentação e Medidas” (2h)

3.1 Enquadramento teórico.

3.2 Atividade experimental – “Osciloscópio”.

Sessão 4 – “Energia e Fenómenos Elétricos” (4 h)

4.1 Sessão plenária para enquadramento didático do tema no programa da disciplina de Física e Química A (10º ano).

4.2 Atividades experimentais - “Caraterísticas de uma Pilha”; “Determinação das características IV e PV de um módulo fotovoltaico”.

Sessão 5 – “Eletromagnetismo” – Parte 1 (4 h)

5.1 Sessão plenária para enquadramento didático do tema no programa da disciplina Física e Química A (11º ano).

5.2 Atividades experimentais – “Campo elétrico – O condensador plano”

Sessão 6 – “Eletromagnetismo” – Parte 2 (4 h)

Atividades experimentais - “Criação de um campo magnético – Experiência de Oersted”; “Indução eletromagnética – O transformador elétrico”.

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

As metodologias de trabalho a seguir nesta ação de formação baseiam-se, fundamentalmente, no desenvolvimento de atividades experimentais. A fundamentação teórica de cada atividade experimental será apresentada sempre que se considere adequada.

As metodologias a seguir incluem as seguintes etapas:

- Discussão/reflexão sobre a natureza de cada trabalho experimental e a sua abordagem no contexto dos programas das disciplinas.

- Realização e exploração das atividades experimentais previstas.

- Reflexão crítica sobre as atividades desenvolvidas e sua utilização pedagógica e análise dos resultados obtidos.

O trabalho autónomo dos formandos consistirá na exploração das atividades laboratoriais em contexto de sala de aula.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação dos formandos é individual e contínua realizando-se ao longo das sessões, de acordo com a carta circular

CCPFC – 3/2007, considerando como parâmetros de avaliação:

• Participação e empenho

• Preparação e execução das atividades experimentais

• Apresentação oral e resposta às questões colocadas pelos formadores relativamente às atividades experimentais

realizadas

• Testes formativos no final de cada módulo visando a retroalimentação de todo o processo de formação.

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente do grupo 510 das escolas associadas, de acordo com data de progressão*;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 5 de outubro até ao preenchimento das vagas.                                                                                                                        *Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada 

Programação e robótica – do pré escolar ao 1ºciclo do ensino básico_AE Penafiel Sudeste_PD08
Curso de formação
A Decorrer

Designação da ação Registo de acreditação

Programação e robótica – do pré escolar ao 1ºciclo do ensino básico CCPFC/ACC-103181/19 

Formador(a) Registo do formador

Carlos Sousa e Liliana Lemos               CCPFC/RFO-38353/17 e 26855/10

Modalidade Destinatários

Curso de Formação    15h presenciais 

Professores dos Grupos 100 e 110

Local de realização 

Agrupamento de Escolas de Penafiel Sudeste

Novembro: 6, 13, 20, 21

Horário de início: 17:00

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 100 e 110.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira Professores dos Grupos 100 e 110.

OBJETIVOS A ATINGIR

- Satisfazer as prioridades formativas dos educadores de infância e professores do 1ºciclo, tendo em vista a concretização dos seus projetos educativos e curriculares e a melhoria da sua qualidade e da eficácia; 

- Estimular a aprendizagem dos diversos conteúdos e competências em vários níveis de ensino com a utilização de robôs;

- Conhecer ambientes de programação visual por blocos, identificando a sua adequação a determinados objetivos e à faixa etária das crianças;

- Construir soluções, codificadas através da programação visual por blocos, para desafios curriculares ou transversais ao currículo (CTREAM); 

- Promover a criação recursos pedagógicos para utilizar com robôs;

- Capacitar para a criação de conteúdos pedagógicos com impressão 3D.

 CONTEÚDOS DA AÇÃO

INICIAÇÃO À PROGRAMAÇÃO E ROBÓTICA EDUCATIVA E O PENSAMENTO COMPUTACIONAL (3 HORAS PRESENCIAIS)

- Princípios e fundamentos pedagógicos de ensino - aprendizagem da programação;

- Modelos de ensino e aprendizagem da programação e robótica no ensino;

- Estratégias, problemas e atividades no ensino da programação de robôs a crianças. 

- Pensamento computacional, programação e robótica do pré-escolar ao ensino básico;

- Lógica, Algoritmia e Programação: definição e caracterização dos conceitos;

- Robôs e programação em contexto educativo;

APP’S - APRENDIZAGEM, PROGRAMAÇÃO DO PRÉ ESCOLAR AO 1ºCICLO ( 3 HORAS PRESENCIAIS)

- As principais linguagens de programação para o meio escolar; 

- APP’s no ensino de conceitos básicos de programação;

- Ambientes de programação visual e programação por blocos; 

- Linguagem de programação Visual não visual; 

PROGRAMAÇÃO DE ROBÔS (3 HORAS PRESENCIAIS)

- Programação de robôs com funções pré-definidas

- Utilização de algoritmos para a resolução de problemas ou situações;

- Programação de robôs através de programação visual (programação por blocos). 

PROGRAMAÇÃO, ROBÓTICA E IMPRESSÃO 3D (3 HORAS PRESENCIAIS)

- Conceitos e técnicas de impressão 3D; 

- 3D em 3 momentos: Instalação, configuração e impressão;

- Técnicas de desenho de objetos tridimensionais; 

- Impressão de projetos 3D. 

A IMPLEMENTAÇÃO EDUCATIVA DA PROGRAMAÇÃO E DA ROBÓTICA (3 HORAS PRESENCIAIS)

- Recolha de informação e idealização de um projeto com robótica; 

- Planificação do projeto/criação a desenvolver com os alunos na aula;

- Produção de materiais para operacionalização de conteúdos na prática pedagógica. 

APLICAÇÃO DOS CONCEITOS NA PRÁTICA LETIVA 

DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DE PROJETOS IDEALIZADOS EM CONTEXTO DE SALA DE AULA 

APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS PROJETOS DESENVOLVIDOS EM CONTEXTO DE SALA DE AULA

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação será feita com base nos seguintes dados:

a) progressão do formando

d) participação

c) pontualidade

d) Trabalho autónomo

e) trabalho final

Os formandos serão avaliados numa escala quantitativa de 1 (um) a 10 (dez) valores, classificação essa que constará nas fichas de avaliação dos formandos, e no Certificado de Creditação da ação, juntamente com as seguintes menções qualitativas:

- de 9 a 10 valores - Excelente

- de 8 a 8,9 valores - Muito Bom

- de 6,5 a 7,9 valores - Bom

- de 5 a 6,4 valores - Regular

- de 1 a 4,9 valores - Insuficiente

Aptidão Física, Sucesso Escolar, Saúde e Rendimento Desportivo – Plataforma FITescola®_AE Joaquim Araújo_PD_F_24
Oficina de formação
A Decorrer

Designação da ação / Registo de acreditação

Aptidão Física, Sucesso Escolar, Saúde e Rendimento Desportivo – Plataforma FITescola®

CCPFC/ACC-104601/19

Formador(a) / Registo dos formadores

Ricardo Reis CCPFC/RFO-38309/17

Modalidade /  Destinatários

Oficina de Formação – 30horas (15h+15H)   

Professores dos grupos de recrutamento 260 e 620

Local de realização 

AE Joaquim de Araújo 

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 260 e 620

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 260 e 620

Cronograma

  outubro               30           18.30 – 21.30     Presencial

novembro               6             18.30 – 21.30     Presencial

                                20           18.30 – 21.00     Online síncrona

                                27           18.30 – 20.30     Presencial

dezembro                 4             18.30 – 21.00     Online síncrona

                                11            18.30 – 20.30     Presencial

OBJETIVOS A ATINGIR

Identificar e descrever a Aptidão Física (AF) relacionada com o rendimento escolar, a saúde e com o rendimento desportivo; Categorizar a população escolar de acordo com a sua AF; Conhecer e explicar os comportamentos sedentários dos alunos na escola e fora da escola, de forma a promover a AF e funcional através dos estilos de vida saudáveis (atividade física e alimentação/dieta); Reforçar os níveis de competência na utilização da plataforma FlTescola, nas suas diferentes componentes: monitorização/introdução de dados, criação de relatórios, aconselhamento e exploração dos recursos didáticos; Rever, conceber e aplicar mensagens de aconselhamento bem definidas, motivadoras e adequadas às necessidades sentidas e ao contexto de aprendizagem.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

A Oficina de Formação decorrerá numa perspetiva teórico-prática com forte incidência na conceção, testagem e aplicação da plataforma FITescola® a qual foi construída através uma arquitetura tecnológica moderna. Neste contexto, pretende-se que cada formando seja agente da sua própria inovação pedagógica, de modo a concretizar a avaliação da aptidão física, da atividade física e desportiva e dos comportamentos sedentários. Esta capacitação deverá ter impacto na aprendizagem dos alunos e na promoção dos estilos de vida saudáveis. Os domínios de formação cobrirão as temáticas que a seguir se apresentam:

Sessões Presenciais Conjuntas

Reflexão sobre a experiência decorrente com a avaliação da aptidão física até ao momento presente. Fundamentação sobre a necessidade de monitorizar e aconselhar a melhoria da aptidão física.

- Aptidão Física e Funcional;

- Relacionada com o rendimento escolar, a saúde e com o rendimento desportivo;

- Capacidades motoras a avaliar;

- Nível desejado nos diferentes aspetos da aptidão física e funcional;

- Avaliação referenciada a norma e ao critério.

Desenvolvimento da literacia na promoção da saúde através da atividade física

- Aprofundamento da habilidade comunicativa, dos formandos, nas componentes da necessidade de aumentar a quantidade e qualidade da atividade física e da aptidão física no sentido de promover a saúde e melhorar o sucesso escolar;

- Exploração da plataforma;

 - Desenvolvimento da competência de literacia na promoção da saúde através da atividade física e desportiva

Avaliação da aprendizagem e avaliação para a aprendizagem

 - Componentes - chave da monitorização para o aconselhamento; 

- Integração das estratégias e técnicas de avaliação para a aprendizagem, em sequências de tarefas; 

- Sugestões praticas para utilização de avaliação para a aprendizagem, em contexto de sala de aula. abordagens e/ou técnicas didáticas.

Componente de Trabalho Autónomo

- Planificação do trabalho a desenvolver no âmbito desta Oficina;

- Exploração e aplicação da plataforma FITescola a utilizar nas respetivas escolas e turmas;

- Análise e reflexão sobre a utilização e potencialidades da plataforma FITescola;

- Avaliação dos efeitos produzidos e do impacto da formação no final da Oficina.

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO

Presencial

A oficina de formação será desenvolvida num total de 30 horas de carácter teórico-prático, incluindo 15 horas na componente de formação e 15 horas na componente de trabalho individual autónomo.

a) Sessões presenciais: 10 horas incluindo mini-palestras; discussão em plenário, pequeno grupo e pares; visionamento de vídeos e atividades práticas; demonstração de técnicas; leitura crítica de documentos e partilha de experiências entre formandos; 

b) Sessões a distância síncronas: 5 horas incluindo análise e leitura crítica de documentos e a realização de atividades práticas; conceção e adaptação de materiais didáticos; planificação de aulas; fóruns de discussão.

Autónomo

c) Trabalho autónomo/apoio em contexto de sala de aula: 15 horas de trabalho autónomo que incluem a aplicação dos testes de aptidão física, elaboração dos relatórios, aconselhamento individual e estratégias pedagógicas para a turma.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação contínua do desempenho dos formandos terá incidência na participação nas atividades e no trabalho realizado, individualmente ou em grupo, ao longo das sessões presenciais e síncronas. 

No final da ação, os formandos serão avaliados individualmente através de relatórios que demonstrem o trabalho autónomo realizado e de acordo com os documentos, da sua autoria, introduzidos no portefólio final, do qual constará também uma reflexão crítica.

A avaliação expressa-se de acordo com a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado no despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente do grupo 260 ou 620 das escolas associadas, de acordo com data de progressão*;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 26 de setembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Scratch para o 1º CEB_AE Vilela_PD_F_12
Oficina de formação
A Decorrer

Designação da ação / Registo de acreditação

Scratch para o 1º CEB

CCPFC/ACC-105636/19

Formador(a)

Adão Brochado_CCPFC/RFO-24823/08

Joaquim Fernando Coelho_CCPFC/RFO-14866/02

Modalidade / Destinatários

Oficina de Formação 30horas (15h+15h)

Professores do Grupo 110

Local de realização

Agrupamento de Escolas de Vilela

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 110

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores do Grupo 110.

Cronograma

outubro

30

novembro

6, 20 

dezembro

 4 e 11

Horário: 17:30_20:30

OBJETIVOS A ATINGIR

Introdução à programação, explorar algoritmos e aplicar a compreensão em uma série de projetos Scratch práticos e interdisciplinares. Explorar a repetição e aprender como fazer uso da repetição em programas do Scratch. Criar arte, música e animação usando padrões repetidos.Descobrir as variáveis através de exemplos do mundo real e aprender como criar variáveis através de histórias interativas e jogos. Refletir sobre todos os principais conceitos de programação para criar projetos de desafio final.Criar uma visão clara e partilhada dos benefícios da integração de tecnologias digitais em contextos educativos;Desenvolver práticas pedagógicas significativas enriquecidas com as TIC, procurando rentabilizar pedagogicamente experiências inovadoras e recursos disponíveis.

 CONTEÚDOS DA AÇÃO

Introdução ao Scratch: codificação e programação; Atores Scratch para criar objetos; Cenários e sons internos do Scratch;  Codificação e programação

Eventos: Efeitos gráficos; Reproduzindo Sons; Repetindo Ações

Ações Condicionais: Variáveis; Aritmética, Números Aleatórios; Comparando Números; Operações Lógica

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

A formação recorrerá a metodologias expositivas, interrogativas e ativas. Pretende-se iniciar a exposição de conteúdos com um levantamento dos conhecimentos e experiências prévios dos formandos, de forma a valorizar os conhecimentos e competências já adquiridos em contexto real. Sempre que possível, serão privilegiadas metodologias ativas na abordagem aos conteúdos da ação, nomeadamente através de role-playing, discussão de situações, brainstorming, trabalhos de grupo, aplicação a casos práticos, visualização de vídeos, entre outros. A componente expositiva recorrerá a suporte informático para captar a atenção dos formandos.

Primeiro momento (13 horas) proceder-se ao desenvolvimento dos conteúdos da ação, tendo em conta a ligação entre a parte teórica e a aplicação prática destes conteúdos no contexto escolar.

Depois do trabalho autónomo (2h)  criação de um espaço reflexivo onde, a partir da apresentação e análise dos trabalhos efetuados,  se procederá  à avaliação do próprio projeto formativo.

Num segundo momento, a oficina desenvolver-se-á a partir de sessões autónomas para a experimentação e uso do Scratch, tanto individualmente como na sala de aula, num total de 15 horas, a partir de um cenário de aprendizagem delineando e planificado seguindo os exemplos dados na formação.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

 avaliação será contínua e quantitativa, subordinada a uma escala que vai de 1 a 10 com correspondência de insuficiente a excelente. Para auferir estes valores irá ter-se em conta a a participação e os trabalhos realizados nas sessões não presenciais, e apresentação do trabalho final.

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente do grupo 110, das escolas associadas de acordo com data de progressão*;

2.º Ordem de Inscrição;

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 11 de outubro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola).

Primeiros Socorros e Suporte Básico de Vida_AE Daniel Faria_PD_F_28
Curso de formação
A Decorrer

Designação da ação / Registo de acreditação

Primeiros Socorros e Suporte Básico de Vida / CCPFC/ACC-103846/19

Formador(a) / Laurinda Gonzaga

Formadores convidados: Gil Afonso e Gabriel Campos (Técnico do INEM e Coordenador da Cruz Vermelha de Vilela)

Modalidade / Destinatários

Curso de Formação - 25 horas

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Local de realização

Agrupamento de Daniel Faria

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para a progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.

Nota: Ao abrigo do disposto no artigo 6.º n.º 3, da Portaria n.º 196-A/2010, de 9 de abril, “As acções de formação realizadas por docentes no âmbito da educação para a saúde e educação sexual são consideradas, para todos os efeitos, como efectuadas na área correspondente ao seu grupo de recrutamento”

Cronograma

30 de outubro e 6 de novembro (4ªfeira)--17h às 20h

13 de novembro (4ªfeira)----17h,às 20h :30min

23 e 30 de novembro (sábado)----9h às 13h

7 de dezembro (sábado)---9h às 13h

11 de dezembro(4ªfeira)----17h às 20:30min

OBJETIVOS A ATINGIR

Reconhecer a importância da prevenção de acidentes;

Transmitir noções básicas de primeiros socorros e conhecimento de suporte básico de vida.

Compreender como é organizado e coordenado o Sistema Integrado de Emergência Médica

Avaliar e agir nos diferentes cenários possíveis e mais comuns da escola;

Conhecer os dados a comunicar por via telefónica ao Centro de Orientação e Distribuição de Situações Urgentes.

Conhecer os procedimentos básicos a adotar nos casos de urgência mais frequentes;

Identificar o material básico utilizado na prestação de primeiros socorros;

Ser capaz de responder eficazmente a uma situação emergente de paragem cardiorrespiratória;

Ser capaz de responder eficazmente a uma situação de doença súbita (hemorragia, intoxicação, engasgamento, etc.) permitindo a estabilidade da vítima até chegarem ao local os meios e profissionais especializados.

 CONTEÚDOS DA AÇÃO

a)Sistema Integrado de Emergência Médica - Saber como proceder em caso de emergência (quem contactar, quem informar) – 1 h

b) Exame Geral da Vítima - Exame primário. - Exame secundário – 2 h

c) Suporte Básico da Vida - Garantir a irrigação sanguínea de tecidos de forma segura a uma vítima em paragem cardíaca (enquanto não chegam meios e profissionais especializados). - Abordagem da Via Aérea. - Reanimação no adulto. - Reanimação na criança. - Casos Especiais. - Posição Lateral de Segurança. - Exercícios de simulação Prática – 7 h

d) Asfixia e obstrução da via aérea - Saber identificar uma asfixia e atuar de forma correta. - Causas Comuns. - Como atuar – 2 h

e) Hemorragias - Saber identificar e classificar uma hemorragia, estabilizar a vítima para se proceder ao transporte para meio hospitalar (se necessário). - Conceito. - Classificação. - Sintomatologia. - Como atuar – 2 h

f) Feridas e Queimaduras - Saber identificar tipos de feridas e queimaduras - atuar de forma correta. - Conceito. - Tipos de Feridas. - Graus de queimaduras. - Como atuar – 2 h

g) Intoxicações - Após a identificação de uma intoxicação, saber como proceder de forma correta e a quem comunicar. - Conceito. - Centro de Informação Antivenenos. - Como atuar – 2 h

h) Lesões músculo-esqueléticas Identificação do tecido afetado e atuar de forma correta para cada situação. - Lesões articulares. - Sintomatologia. - Procedimentos. - Lesões musculares. - Como atuar – 2 h

i) Alterações do conhecimento - Saber atuar em caso de vítima inconsciente. Saber fazer uma pesquisa de glicemia Capilar. - Conceitos. - Causas possíveis. - Sintomas. - Alterações cerebrovasculares. - Hipoglicemia. - Hiperglicemia. - Avaliação de glicemia Capilar. - Como atuar – 4 h

j) Avaliação do curso – 1 h

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

A formação recorrerá a metodologias expositivas, interrogativas e ativas. Pretende-se iniciar a exposição de conteúdos com um levantamento dos conhecimentos e experiências prévios dos formandos, de forma a valorizar os conhecimentos e competências já adquiridos em contexto real. Sempre que possível, serão privilegiadas metodologias ativas na abordagem aos conteúdos da ação, nomeadamente através de role-playing, discussão de situações, brainstorming, trabalhos de grupo, aplicação a casos práticos, visualização de vídeos, entre outros. A componente expositiva recorrerá a suporte informático para captar a atenção dos formandos.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

- Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais.

- A avaliação dos formandos será contínua e participada por todos os intervenientes e assentará na participação nas dinâmicas das sessões presenciais, bem como na elaboração de um trabalho individual/documento final de reflexão crítica individual sobre a experiência pessoal derivada da participação na Ação e implicações na prática letiva, de acordo com os critérios previamente estabelecidos ao nível do Centro de Formação, com a legislação em vigor e com as orientações do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua;

- A avaliação dos formandos é quantitativa e expressa numa escala de 1 a 10, com a correspondente menção qualitativa, conforme referencial constante da legislação em vigor e que a seguir se explicita:

Excelente — de 9 a 10 valores; Muito Bom — de 8 a 8,9 valores; Bom — de 6,5 a 7,9 valores; Regular — de 5 a 6,4 valores; Insuficiente — de 1 a 4,9 valores.

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

30 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente das escolas associadas de acordo com data de progressão*;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 11 de outubro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola).

A Educação Sexual em Meio Escolar: Metodologias de Abordagem/Intervenção_AE Joaquim de Araújo_PD11
Oficina de formação
A Decorrer

A EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR: METODOLOGIAS DE ABORDAGEM/INTERVENÇÃO

CCPFC/ACC-93888/18

Formador(a) / Registo do formador

Judite Alves Pinheiro /CCPFC/RFO 21228/06

Modalidade / Destinatários

Oficina de Formação / 25h presenciais + 25h autónomas

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Local de realização

Agrupamento de Escolas Joaquim de Araújo

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC  de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para a progressão em carreira.

PS. Ao abrigo do disposto no artigo 6.º n.º 3, da Portaria n.º 196-A/2010, de 9 de abril, “As ações de formação realizadas por docentes no âmbito da educação para a saúde e educação sexual são consideradas, para todos os efeitos, como efetuadas na área correspondente ao seu grupo de recrutamento

 Cronograma:

30 outubro

6 novembro

13 novembro

20 novembro

4 dezembro

8 janeiro

20 janeiro

5 fevereiro

19 fevereiro

4 março

18 março

25 março (3h)

As sessões deverão decorrer das 16:30 - 18:30 (a última até às 19:30)

OBJETIVOS A ATINGIR

Reforçar as competências técnico-pedagógicas dos docentes na área da educação para a saúde-educação sexual;

- Favorecer a partilha de experiências;

- Promover a implementação de projetos de “educação Sexual” no Agrupamento/comunidade;

- Reforçar as competências na área da organização e gestão de Gabinetes de Apoio ao/à Aluno/gabinetes de informação ao/á aluno/a;

- Promover a conceção de materiais pedagógicos adequados ao contexto, adaptando-os ao público-alvo e às necessidades sentidas;

- Introduzir novas práticas utilizando os resultados obtidos na oficina.

 CONTEÚDOS DA AÇÃO

- Enquadramento da educação para a saúde e educação sexual

- Definição/aferição de conceitos

- A história da sexualidade humana

- A evolução da educação sexual em termos legislativos- a atual legislação

- O papel funcional de gabinetes de apoio ao aluno – gabinete de informação ao aluno

- Diversidade de metodologias ativas e participativas de trabalho a desenvolver em meio escolar

- As manifestações da sexualidade infantil e adolescente: aspetos biopsicossociais

- Estereótipos de género

- Aspetos culturais da sexualidade

- Quadro ético de referência: escola/família/comunidade

- Mitos sobre a sexualidade

- O papel da sexualidade na construção de um projeto de vida

Os conteúdos da formação (sessões trabalho autónomo):

- Planificação de projetos individuais a desenvolver para intervenção pedagógica na escola

- Construção de novos modelos, a aplicar nas respetivas escolas, de operacionalização de educação para a saúde – educação sexual

- Experimentação de materiais pedagógicos nas respetivas escolas

- Avaliação dos materiais produzidos e dos resultados atingidos

- Partilha dos resultados das aplicações de materiais construídos em oficina

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO  

Oficina de formação – Sessões teóricas e acompanhamento da componente prática a realizar em contexto escolar pelos próprios formandos.

Sessões plenárias de formação em grupo

Metodologias ativas e participativas:

Conceção e execução de um projeto de educação sexual

Aplicação de materiais em contexto de meio escolar

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

- Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais.

- A avaliação dos formandos será contínua e participada por todos os intervenientes e assentará: na participação nas dinâmicas das sessões presenciais; nos projetos, trabalhos e/ou materiais produzidos, no âmbito do trabalho autónomo e na realização de um trabalho individual/reflexão crítica final, de acordo com os critérios previamente estabelecidos, ao nível do Centro de Formação;

- A avaliação é quantitativa e expressa numa escala de 1 a 10, com a correspondente menção qualitativa, conforme referencial constante da legislação em vigor e que a seguir se explicita:

Excelente (9 a 10 valores) / Muito Bom (de 8 a 8,9 valores) / Bom (6,5 a 7,9 valores) / Regular (5 a 6,4 valores) / Insuficiente (1 a 4,9 valores).

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser professor das escolas associadas ao CfaePPP*;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO

De 18 de outubro  até ao preenchimento das vagas

No caso de necessitar de formação para progredir deverá enviar um email com declaração dos serviços administrativos.

Transformações geométricas: isometrias usando ferramentas digitais_AE Vilela_PD_F_18
Oficina de formação
A Decorrer

Designação da ação / Registo de acreditação

Transformações geométricas: isometrias usando ferramentas digitais

CCPFC/ACC-103586/19

Formador(a) / Registo dos formadores

Ana Paula Machado / CCPFC/RFO-25399/09

Modalidade / Destinatários

Oficina de Formação de 26 horas (13h presenciais e 13h trabalho autónomo)

Professores dos Grupos 230 e 500

Local de realização

AE Vilela (escola sede)

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 230 e 500.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos Grupos 230 e 500.

Cronograma

outubro     29 (18:30_20:30)

novembro     13, 20 (17:30_20:30)

dezembro     4 (17:30_20:30)

                    18 (18:30_20:30)

OBJETIVOS A ATINGIR

Reconhecer a importância da utilização das tecnologias no ensino da Matemática; Utilizar software de geometria dinâmica, nomeadamente o Geogebra, na exploração de conteúdos, técnicas, atividades e resolução de problemas de geometria no plano;

Desenvolver capacidades que permitam a pesquisa, reflexão, alteração e produção, de forma autónoma, de atividades para exploração de conteúdos e desenvolvimento de capacidades dos alunos no âmbito das isometrias;

Promover o conhecimento das múltiplas vertentes de exploração no ensino das isometrias;Incentivar a utilização de plataformas de gestão de conteúdos para melhor gestão dos recursos e permitir o desenvolvimento de processos de aprendizagem à distância.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

Análise do programa/meta da disciplina de Matemática (subdomínio Isometrias); Análise das orientações curriculares que se referem à utilização de tecnologias e ao desenvolvimento das competências necessárias para a sua concretização na sala de aula importantes à experimentação de novas situações e que levem o aluno a aprender e a refletir sobre a sua aprendizagem. Exploração de conteúdos e realização de atividades práticas com vista à consecução dos objetivos. Apresentação dos trabalhos realizados durante as sessões autónomas.Resolução de atividades para a exploração de conteúdos de isometrias usando o Geogebra, a plataforma Goconqr, páginas para exploração de conceitos de geometria.

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

As sessões serão essencialmente práticas, necessárias à experimentação, reflexão, investigação, criação, cooperação, partilha, mas não se excluem naturalmente momentos expositivos/demonstrativos, com vista à exploração diferentes conteúdos e técnicas.

Desenvolvimento e aplicação de atividades que permitam a exploração de conteúdos e ferramentas de isometrias. Essas atividades serão disponibilizadas para a comunidade escolar através de uma disciplina criada na Plataforma Moodle para o efeito. O trabalho acompanhado compreende a realização de atividades propostas nos tutoriais e publicação dos respetivos produtos na plataforma moodle.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

É obrigatória a frequência de pelo menos 2/3 das horas presenciais.

Será valorizada a participação ativa no desenvolvimento das tarefas propostas nas diferentes sessões de trabalho, os trabalhos práticos realizados, o trabalho final e sua apresentação.

Serão respeitados todos os dispositivos legais da avaliação contínua, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015 de 6 de maio e a regulamentação do CCPFC

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente dos grupos  230 e 500 das escolas associadas, de acordo com data de progressão*;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 2 de outubro até ao preenchimento das vagas.                                                                                                                                                          

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Primeiros Socorros e Suporte Básico de Vida_Sec. Paredes_PD09
Curso de formação
A Decorrer

Designação da ação / Registo de acreditação

Primeiros Socorros e Suporte Básico de Vida / CCPFC/ACC-103846/19

Modalidade / Destinatários

Curso de Formação - 25 horas

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Formador: Paulo Silva

Local de realização

Escola Secundária de Paredes

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para a progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.

Nota: Ao abrigo do disposto no artigo 6.º n.º 3, da Portaria n.º 196-A/2010, de 9 de abril, “As acções de formação realizadas por docentes no âmbito da educação para a saúde e educação sexual são consideradas, para todos os efeitos, como efectuadas na área correspondente ao seu grupo de recrutamento”

Cronograma

25 de outubro - das 14:00 às 19:00

8 de novembro - das 14:00 às 19:00

15 de novembro - das 14:00 às 19:00

22 de novembro - das 14:00 às 19:00

29 de novembro - das 14:00 às 19:00

OBJETIVOS A ATINGIR

Reconhecer a importância da prevenção de acidentes;

Transmitir noções básicas de primeiros socorros e conhecimento de suporte básico de vida.

Compreender como é organizado e coordenado o Sistema Integrado de Emergência Médica

Avaliar e agir nos diferentes cenários possíveis e mais comuns da escola;

Conhecer os dados a comunicar por via telefónica ao Centro de Orientação e Distribuição de Situações Urgentes.

Conhecer os procedimentos básicos a adotar nos casos de urgência mais frequentes;

Identificar o material básico utilizado na prestação de primeiros socorros;

Ser capaz de responder eficazmente a uma situação emergente de paragem cardiorrespiratória;

Ser capaz de responder eficazmente a uma situação de doença súbita (hemorragia, intoxicação, engasgamento, etc.) permitindo a estabilidade da vítima até chegarem ao local os meios e profissionais especializados.

 CONTEÚDOS DA AÇÃO

a)Sistema Integrado de Emergência Médica - Saber como proceder em caso de emergência (quem contactar, quem informar) – 1 h

b) Exame Geral da Vítima - Exame primário. - Exame secundário – 2 h

c) Suporte Básico da Vida - Garantir a irrigação sanguínea de tecidos de forma segura a uma vítima em paragem cardíaca (enquanto não chegam meios e profissionais especializados). - Abordagem da Via Aérea. - Reanimação no adulto. - Reanimação na criança. - Casos Especiais. - Posição Lateral de Segurança. - Exercícios de simulação Prática – 7 h

d) Asfixia e obstrução da via aérea - Saber identificar uma asfixia e atuar de forma correta. - Causas Comuns. - Como atuar – 2 h

e) Hemorragias - Saber identificar e classificar uma hemorragia, estabilizar a vítima para se proceder ao transporte para meio hospitalar (se necessário). - Conceito. - Classificação. - Sintomatologia. - Como atuar – 2 h

f) Feridas e Queimaduras - Saber identificar tipos de feridas e queimaduras - atuar de forma correta. - Conceito. - Tipos de Feridas. - Graus de queimaduras. - Como atuar – 2 h

g) Intoxicações - Após a identificação de uma intoxicação, saber como proceder de forma correta e a quem comunicar. - Conceito. - Centro de Informação Antivenenos. - Como atuar – 2 h

h) Lesões músculo-esqueléticas Identificação do tecido afetado e atuar de forma correta para cada situação. - Lesões articulares. - Sintomatologia. - Procedimentos. - Lesões musculares. - Como atuar – 2 h

i) Alterações do conhecimento - Saber atuar em caso de vítima inconsciente. Saber fazer uma pesquisa de glicemia Capilar. - Conceitos. - Causas possíveis. - Sintomas. - Alterações cerebrovasculares. - Hipoglicemia. - Hiperglicemia. - Avaliação de glicemia Capilar. - Como atuar – 4 h

j) Avaliação do curso – 1 h

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

A formação recorrerá a metodologias expositivas, interrogativas e ativas. Pretende-se iniciar a exposição de conteúdos com um levantamento dos conhecimentos e experiências prévios dos formandos, de forma a valorizar os conhecimentos e competências já adquiridos em contexto real. Sempre que possível, serão privilegiadas metodologias ativas na abordagem aos conteúdos da ação, nomeadamente através de role-playing, discussão de situações, brainstorming, trabalhos de grupo, aplicação a casos práticos, visualização de vídeos, entre outros. A componente expositiva recorrerá a suporte informático para captar a atenção dos formandos.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

- Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais.

- A avaliação dos formandos será contínua e participada por todos os intervenientes e assentará na participação nas dinâmicas das sessões presenciais, bem como na elaboração de um trabalho individual/documento final de reflexão crítica individual sobre a experiência pessoal derivada da participação na Ação e implicações na prática letiva, de acordo com os critérios previamente estabelecidos ao nível do Centro de Formação, com a legislação em vigor e com as orientações do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua;

- A avaliação dos formandos é quantitativa e expressa numa escala de 1 a 10, com a correspondente menção qualitativa, conforme referencial constante da legislação em vigor e que a seguir se explicita:

Excelente — de 9 a 10 valores; Muito Bom — de 8 a 8,9 valores; Bom — de 6,5 a 7,9 valores; Regular — de 5 a 6,4 valores; Insuficiente — de 1 a 4,9 valores.

INSCRIÇÃO
Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)
http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/
30 vagas
CRITÉRIOS DE SELEÇÃO
1.º Ser docente das escolas associadas de acordo com data de progressão*;
2.º Ordem de Inscrição;
PRAZO DE INSCRIÇÃO
De 18 de outubro até ao preenchimento das vagas.

Scratch para Arduino_AE Vilela_PD_F_26
Oficina de formação
A Decorrer

Designação da ação / Registo de acreditação

Scratch para Arduino / CCPFC/ACC-104848/19

Formador(a) / Registo dos formadores

ADÃO ALBERTO DA SILVA BROCHADO

JOAQUIM FERNANDO DA SILVA COELHO

Modalidade / Destinatários

Oficina de Formação 50h (25h presenciais+25h trabalho autónomo)

Professores do Grupo 550

Local de realização

AE Vilela (escola sede)

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 550

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores do Grupo 550

CRONOGRAMA

outubro      22, 29, 31         das 18:30_21:30

novembro   5, 7, 19 e 21     das 18:30_21:30

dezembro   10                     das  18h_22h

OBJETIVOS A ATINGIR

Os formandos serão capazes de compreender a tecnologia Arduíno;

Desenvolver competências de programação em plataformas visuais;

Criar circuitos elétricos e programá-los;

Criar pequenos mecanismos (robôs) e programá-los;

Conhecer novas metodologias de ensino/aprendizagem.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

Eletricidade: Circuitos eléctricos; Propriedades da electricidade; Lei de Ohm;  Breadboard;  Circuitos c/ botão; Circuitos c/ Potenciómetro.

Componentes electrónicos; Introdução; Díodos; Led; Switches;Potenciómetros

Plataforma Arduino: Tipos; Constituição;  Arduino Shields; Instalação e Configuração da Placa: Firmware; Extension

Programação Scratch: Ambiente; Variáveis; Operadores; Condicionais; Ciclos; Funções; Variáveis globais.

Outros Componentes: Sensores; Ultrassons; Temperatura; Seguelinha; SLDR.  

Atuadores: Atuadores analógicos ; Modulação;  Fazer música;  Librarias do Arduino.

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Primeiro momento (20h) proceder-se à ligação entre a parte teórica e a aplicação prática destes conteúdos no contexto escolar.

Retomar-se-ão as sessões presenciais (2h) para a apresentação e análise dos trabalhos efetuados em contexto escolar. A troca e partilha de experiências permitirá a avaliação do próprio projeto formativo.

Num segundo momento, a oficina desenvolver-se-á a partir de sessões autónomas para a experimentação e uso do Arduino e Scratch, tanto individualmente como na sala de aula, num total de 25 horas.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação será contínua e quantitativa, subordinada a uma escala que vai de 1 a 10 com correspondência de insuficiente a excelente. Para auferir estes valores irá ter-se em conta a participação e a apresentação do trabalho autónomo realizado assim e como o trabalho final realizado.

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente do grupo 550 das escolas associadas, de acordo com data de progressão*;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 2 de outubro até ao preenchimento das vagas.                                                                                                                                                           

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Programação e robótica – do pré escolar ao 1ºciclo do ensino básico_AE Paço de Sousa_PD06
Curso de formação
A Decorrer

Designação da ação Registo de acreditação

Programação e robótica – do pré escolar ao 1ºciclo do ensino básico CCPFC/ACC-103181/19 

Formador(a) Registo do formador

Carlos Sousa e Liliana Lemos               CCPFC/RFO-38353/17 e 26855/10

Modalidade Destinatários

Curso de Formação    15h presenciais 

Professores dos Grupos 100 e 110

Local de realização 

Agrupamento de Escolas de Paço de Sousa

Outubro: 21

Novembro: 28

Dezembro: 19 (início 9:30)

Horário de início: 17:30

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 100 e 110.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira Professores dos Grupos 100 e 110.

OBJETIVOS A ATINGIR

- Satisfazer as prioridades formativas dos educadores de infância e professores do 1ºciclo, tendo em vista a concretização dos seus projetos educativos e curriculares e a melhoria da sua qualidade e da eficácia; 

- Estimular a aprendizagem dos diversos conteúdos e competências em vários níveis de ensino com a utilização de robôs;

- Conhecer ambientes de programação visual por blocos, identificando a sua adequação a determinados objetivos e à faixa etária das crianças;

- Construir soluções, codificadas através da programação visual por blocos, para desafios curriculares ou transversais ao currículo (CTREAM); 

- Promover a criação recursos pedagógicos para utilizar com robôs;

- Capacitar para a criação de conteúdos pedagógicos com impressão 3D.

 CONTEÚDOS DA AÇÃO

INICIAÇÃO À PROGRAMAÇÃO E ROBÓTICA EDUCATIVA E O PENSAMENTO COMPUTACIONAL (3 HORAS PRESENCIAIS)

- Princípios e fundamentos pedagógicos de ensino - aprendizagem da programação;

- Modelos de ensino e aprendizagem da programação e robótica no ensino;

- Estratégias, problemas e atividades no ensino da programação de robôs a crianças. 

- Pensamento computacional, programação e robótica do pré-escolar ao ensino básico;

- Lógica, Algoritmia e Programação: definição e caracterização dos conceitos;

- Robôs e programação em contexto educativo;

APP’S - APRENDIZAGEM, PROGRAMAÇÃO DO PRÉ ESCOLAR AO 1ºCICLO ( 3 HORAS PRESENCIAIS)

- As principais linguagens de programação para o meio escolar; 

- APP’s no ensino de conceitos básicos de programação;

- Ambientes de programação visual e programação por blocos; 

- Linguagem de programação Visual não visual; 

PROGRAMAÇÃO DE ROBÔS (3 HORAS PRESENCIAIS)

- Programação de robôs com funções pré-definidas

- Utilização de algoritmos para a resolução de problemas ou situações;

- Programação de robôs através de programação visual (programação por blocos). 

PROGRAMAÇÃO, ROBÓTICA E IMPRESSÃO 3D (3 HORAS PRESENCIAIS)

- Conceitos e técnicas de impressão 3D; 

- 3D em 3 momentos: Instalação, configuração e impressão;

- Técnicas de desenho de objetos tridimensionais; 

- Impressão de projetos 3D. 

A IMPLEMENTAÇÃO EDUCATIVA DA PROGRAMAÇÃO E DA ROBÓTICA (3 HORAS PRESENCIAIS)

- Recolha de informação e idealização de um projeto com robótica; 

- Planificação do projeto/criação a desenvolver com os alunos na aula;

- Produção de materiais para operacionalização de conteúdos na prática pedagógica. 

APLICAÇÃO DOS CONCEITOS NA PRÁTICA LETIVA 

DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DE PROJETOS IDEALIZADOS EM CONTEXTO DE SALA DE AULA 

APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS PROJETOS DESENVOLVIDOS EM CONTEXTO DE SALA DE AULA

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação será feita com base nos seguintes dados:

a) progressão do formando

d) participação

c) pontualidade

d) Trabalho autónomo

e) trabalho final

Os formandos serão avaliados numa escala quantitativa de 1 (um) a 10 (dez) valores, classificação essa que constará nas fichas de avaliação dos formandos, e no Certificado de Creditação da ação, juntamente com as seguintes menções qualitativas:

- de 9 a 10 valores - Excelente

- de 8 a 8,9 valores - Muito Bom

- de 6,5 a 7,9 valores - Bom

- de 5 a 6,4 valores - Regular

- de 1 a 4,9 valores - Insuficiente

Aquisição e tratamento de dados com a TI Nspire CX_Agrupamento de Escolas de Vilela_PD_02
Curso de formação
A Decorrer

Aquisição e tratamento de dados com a TI Nspire CX

CCPFC/ACC- 94039/19

Formador(a)

João Santos

CCPFC/RFO-34841/14

Modalidade / Destinatários

Curso de Formação - 25 horas

Grupo 500 e 510

Local de realização

Agrupamento de Escolas de Vilela (escola sede)

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de  Professores dos Grupos 500 e 510 dos Ensinos Básico (3º Ciclo) e Secundário.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de  Professores dos Grupos 500 e 510 dos Ensinos Básico (3º Ciclo) e Secundário.

Cronograma

outubro: 19, 

novembro: 16

janeiro: 11

fevereiro: 1 e 8

horário: 9:00_13:30 

* ÚLTIMA SESSÃO A AGENDAR

OBJETIVOS A ATINGIR

Conhecer e dominar a utilização das novas máquinas de calcular e as sua potencialidades como sistemas de aquisição de dados.

Preparar protocolos e montar dispositivos experimentais para diferentes trabalhos com os equipamentos disponíveis na escola.

Implementar atividades experimentais em sala de aula, analisar os seus aspetos positivos e eventuais dificuldades sentidas na sua exploração, procurando alternativas.

Melhorar a articulação curricular entre professores de diferentes disciplinas do mesmo Departamento Curricular.

 CONTEÚDOS DA AÇÃO

• Apresentação da ação e critérios de avaliação (1h)

• O funcionamento da TI Nspire CX. Os comandos, o menu e funcionalidades (8h).

• Exploração de atividades experimentais protocoladas quer de Química quer de Física (6h).

• Elaboração de outros protocolos que possam cobrir a diversidade de trabalhos do 10º, 11º e 12º ano (4h).

• Análise dos resultados obtidos e apresentação dos trabalhos (5h)

• Avaliação da ação (1h).

 METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO              

• Sessões teórico-práticas práticas com vista ao domínio da tecnologia.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

• Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais

• Trabalhos práticos efectuados nas sessões presenciais e reflexão crítica final, de acordo com os critérios previamente estabelecidos, classificados nas escola de 1 a 10, conforme indicado na Carta Circular CCPFC – 3/2007 – Setembro 2007, com a menção qualitativa de:

1 a 4,9 valores – Insuficiente;  5 a 6,4 valores – Regular;  6,5 a 7,9 valores – Bom;  8 a 8,9 valores – Muito Bom;

9 a 10 valores - Excelente.

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1º Ser professor das escolas associadas ao CFAEPPP *

2º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO

De 25 de setembro até ao preenchimento das vagas

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Para o desenvolvimento de uma escola inclusiva_AE Paços de Ferreira_PD01
Curso de formação
A Decorrer

Designação da ação: Para o desenvolvimento de uma escola inclusiva

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-93744/18

Formador(a): Rosa Campos

Modalidade: Curso de Formação - 25 horas

Destinatários: Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Cronograma:

Agrupamento de Escolas de Paços de Ferreira (escola sede)

outubro: 17 e 24 das 17:30_21:00

outubro: 31 das 17:30_20:30

novembro: 7, 14, 21, 28 das 17:30_20:30

dezembro: 5 das 17:30_20:30

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial
Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para a progressão em carreira.

Despacho 6851-A/2019

«Artigo 3.º

 5 — As ações de formação realizadas sobre os conteúdos regulados nos números 1 e 4 do presente artigo no período compreendido entre 1 de setembro de 2016 e 31 de julho de 2020 são excecionalmente consideradas como efetuadas na dimensão científico -pedagógica de todos os grupos de recrutamento, independentemente do disposto no n.º 2.»

OBJETIVOS A ATINGIR

•Capacitar docentes para a formação e sua replicação sobre a implementação do novo enquadramento legal da educação inclusiva.

 CONTEÚDOS DA AÇÃO

1.Enquadramento concetual da educação inclusiva (2h)

2.Os Direitos - famílias e crianças (2h)

3.Desenho universal para a aprendizagem (3h)

4.O trabalho em equipa multidisciplinar (2h)

5.Enquadramento legal da educação inclusiva (16h)

Conceitos, princípios-chave e definições operacionais

Recursos específicos de apoio à aprendizagem e à inclusão

Medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão

Determinação da necessidade de suportes à aprendizagem e à inclusão

Avaliação de competências e conhecimentos, progressão e certificação

 METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO

•Apresentação do enquadramento legal da educação inclusiva;

•Análise e discussão de conceitos;

•Análise de documentos legislativos e enquadradores da intervenção;

•Reflexão sobre conceitos e práticas.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

•Participação nas sessões – dinâmica e qualidade das intervenções.

•Apresentação de um trabalho elaborado individualmente

Serão utilizados os parâmetros de avaliação estabelecidos (tabela de 1 a 10 valores) e respeitados todos os dispositivos legais da avaliação contínua, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015 de 6 de maio

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser Professor das escolas associadas ao CFAEPPP;

2.º Requisito de formação para a progressão *

3º Ordem de Inscrição

*No caso de necessitar de formação para progredir deverá enviar um email com declaração dos serviços administrativos

Materiais e Equipamentos de Laboratório_Sec. Penafiel_PD_F_91
Curso de formação
A Decorrer

Designação da ação / Registo de acreditação

Materiais e Equipamentos de Laboratório / CCPFC/ACC-89419/17

Formador(a) / Registo dos formadores

Sónia Cerqueira / CCPFC/RFO-25283/09

Modalidade / Destinatários

Curso de Formação de 25 horas

Professores do Grupo 520 dos Ensinos Básico (3º Ciclo) e Secundário

Local de realização

Escola Secundária de Penafiel

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 520 dos Ensinos Básico (3º Ciclo) e Secundário

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores do Grupo 520 dos Ensinos Básico (3º Ciclo) e Secundário

Cronograma

outubro

16 - 16:30_20:30

23 - 16:30_20:30

30 - 16:30_20:30

novembro

13 - 16:30_21:00

20 -  16:30_21:00

27 -  16:30_20:30

OBJETIVOS A ATINGIR

No final da ação, os formandos devem ser capazes:

1. de utilizar corretamente materiais e equipamentos existentes nos laboratórios de Biologia e Geologia;

2. de cumprir e fazer cumprir as regras de comportamento no laboratório, principalmente as regras relacionadas com a segurança;

3. de pesquisar informação de modo a se manterem atualizados em termos de materiais e equipamentos laboratoriais/de campo disponíveis no mercado.

São também objetivos desta ação de formação:

1. o desenvolvimento da capacidade de planeamento de novas atividades práticas;

2. a promoção, por parte dos docentes, da aprendizagem e raciocínio dos seus alunos;

3. o instigar de uma reaproximação dos alunos aos conteúdos ligados às ciências biológicas.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

1. Apresentação do curso – 1h

2. Materiais de laboratório – 3h

3. Equipamento laboratorial – 8h

1.1. Equipamentos de esterilização

1.2. Incubadoras

1.3. Equipamentos de refrigeração

1.4. Equipamentos de filtração

1.5. Termómetros

1.6. Medidores de pH e condutividade

1.7. Balanças

1.8. Homogenizadores

1.9. Contadores de colónias

1.10. Lupas e Microscópios

4. Introdução ao equipamento hospitalar – 1h

5 . Visita de estudo – 7h

5.1. Laboratórios do CIIMAR

5.2. Laboratório de Biologia Pesqueira (técnicas de amostragem/trabalho de campo) do IPIMAR/IPMA

6. Trabalhos práticos – 4h

7. Avaliação do curso – 1h

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

As sessões serão Teórico/Práticas com as seguintes metodologias:

1. Método expositivo;

2. Método demostrativo;

3. Método ativo (manipulação de materiais e equipamentos).

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

• Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais

• Trabalhos práticos efectuados nas sessões presenciais e reflexão crítica final, de acordo com os critérios previamente estabelecidos, classificados nas escola de 1 a 10, conforme indicado na Carta Circular CCPFC – 3/2007 – Setembro 2007, com a menção qualitativa de:

1 a 4,9 valores – Insuficiente;

5 a 6,4 valores – Regular;

6,5 a 7,9 valores – Bom;

8 a 8,9 valores – Muito Bom;

9 a 10 valores - Excelente.

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente do grupo 520 das escolas associadas, de acordo com data de progressão*;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 26 de setembro até ao preenchimento das vagas.                                                                                                                                                         

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Matemática Divertida_Sec. Paredes_PD_F17
Curso de formação
A Decorrer

Designação da ação / Registo de acreditação

Matemática Divertida

CCPFC/ACC-103586/19

Formador(a) / Registo dos formadores

Paulo Daniel Oliveira Ferreira

CCPFC/RFO-35804/15

Modalidade / Destinatários

Curso de Formação de 25horas

Professores dos Grupos 230 e 500

Local de realização

Escola Secundária de Paredes

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 230 e 500.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos Grupos 230 e 500.

CRONOGRAMA

outubro           16, 23, 30 (17:00_20:30)

novembro6, 13, 20, 27*     (17:00_20:30) *das (17:00_21:00)

OBJETIVOS A ATINGIR

Com esta formação pretende-se levar à compreensão de como o envolvimento em atividades lúdicas proporciona um desenvolvimento de capacidades de raciocínio lógico-matemático, ao mesmo tempo que assume um papel motivador na aprendizagem da Matemática.

Pretende-se que os docentes: - conheçam jogos lógicos, numéricos e de estratégia, bem como truques com base matemática; - aprendam as regras e estratégias básicas dos diferentes jogos; - percebam como a Matemática pode ajudar a explicar ou garantir estratégias ganhadoras; - se tornem capazes de levar a cabo um projeto que inclua a ludicidade matemática em atividades letivas ou não letivas

CONTEÚDOS DA AÇÃO

Módulo 1 – Introdução. Matemagia (Truques de Magia com base matemática). (3,5 horas)

Módulo 2 – Análise e exploração de curiosidades numéricas. (3,5 horas)

Módulo 3 – Análise e exploração de enigmas e jogos lógicos (3,5 horas)

Módulo 4 – Análise e exploração de jogos de estratégia. (3,5 horas)

Módulo 5 – Análise e exploração de jogos numéricos. (3,5 horas)

Módulo 6 – Análise e exploração de jogos de engenho. (3,5 horas)

Módulo 7 – Análise e exploração de truques com cartas. Balanço e avaliação. (4 horas)

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Esta formação é constituída por sessões essencialmente práticas, distribuídas por módulos. Será feita a apresentação dos conteúdos, seguida de análise e exploração pelos formandos.

Será aplicada uma metodologia que privilegie a participação ativa dos formandos através da exploração de vários jogos lógicos, numéricos ou geométricos, desafios, enigmas, truques de “magia” e construção de materiais.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação obedecerá aos critérios estabelecidos pelo Centro de Formação, de acordo com orientações emanadas do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua. A avaliação será de carácter quantitativo, na escala de 1 a 10 valores. As dimensões de avaliação são: Participação, trabalhos práticos realizados nas sessões presenciais e elaboração de um documento final de reflexão individual sobre a experiência pessoal derivada da participação na ação e implicações na sua prática letiva.

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente dos grupos 230 e 500 das escolas associadas, de acordo com data de progressão*;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 2 de outubro até ao preenchimento das vagas.                                                                                                                       *Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola)

Aprender com dispositivos móveis – cenários inovadores de aprendizagem (nível de iniciação)_AE Paredes_PD03
Oficina de formação
A Decorrer

Local: Agrupamento de Escolas de Paredes

Formador: Marco Bento

Modalidade: Oficina de formação 50 horas (25h+25h)

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para a progressão em carreira.

Cronograma: 

Oct 16 16:30 - 19:30

Oct 23 16:30 - 19:30

Oct 30 16:30 - 19:30

Nov 6 16:30 - 19:30

Nov 20 16:30 - 19:30

Dec 4 16:30 - 20:30

Faltam 2 sessões

Objetivos a atingir
Introduzir a utilização de dispositivos móveis no ambiente de sala de aula.
Fornecer aos professores diferentes competências de aprendizagem técnica e de inovação pedagógica para a utilização de dispositivos móveis em sala de aula.
Promover uma utilização eficiente das tecnologias móveis nas atividades letivas.
Integrar as componentes científica, técnica e pedagógica na elaboração de planos de aula.
Construir, aplicar e refletir sobre recursos digitais para uso na sala de aula.
Utilizar de forma colaborativa plataformas digitais.
Conhecer e aplicar cenários de inovação pedagógica de gamification e flipped learning com a utilização de dispositivos móveis na sala de aula.

Conteúdos da ação
1. O Mobile Learning em contexto de sala de aula (2 horas)
Definição e contexto
Os diferentes dispositivos móveis utilizados
O Tablet em contexto educativo
Aplicações a utilizar em contexto educativo
As metodologias que podem ser usadas pelos professores com Tablets
Reflexão sobre Aplicações utilizadas em contexto de sala de aula pelos professores
Reflexão sobre Metodologias utilizadas em contexto de sala de aula pelos professores quando trabalham a tecnologia
Reflexão sobre a integração destas tecnologias móveis nos programas curriculares
A elaboração das conclusões e posterior discussão serão feitas em ambiente de trabalho colaborativo através das plataformas digitais EDMODO e WIZq
Síntese do debate a elaborar pelos formandos e a partilhar com todos os grupos
2. O Tablet Definições Básicas (2 hora)
Apresentação das conclusões anteriores sobre Aplicações e Metodologias dos professores na sala de aula
Princípios básicos da utilização do Tablet
Instalar e desinstalar aplicações
Criar e sincronizar contas
Debate e partilha numa plataforma colaborativa
3. O sistema operativo do equipamento (2 hora)
Instalar e atualizar aplicações específicas de funcionamento do sistema operativo
O gestor de ficheiros: localizar, renomear, cortar, copiar, colar, apagar, patilhar
4. As aplicações do sistema operativo (1 hora)
Conhecer as aplicações básicas do sistema operativo
Bloqueio Parental
Exercícios práticos de conhecimento e aprendizagem
5. Cenários de inovação pedagógica: Flipped Learning (2 horas)
Flipped Learning: características principais
Reflexão sobre os planos de aula com base neste cenário de inovação pedagógica
Utilizando a Câmara Fotográfica e a aplicação Estúdio de filme para criar uma narrativa visual sobre um tema definido nos conteúdos programáticos
6. Cenários de inovação pedagógica: Gamification na sala de aula (2 hora)
Características principais deste cenário de inovação pedagógica
Reflexão, desenho e construção de um modelo de gamification para a sala de aula
7. Exploração de aplicações no sentido de planeamento de atividades em sala de aula (4 horas)
Apresentação e experimentação de aplicações interativas como o: KAHOOT, SOCRATIVE, GOCONQR, TELLAGAMI, EXPLAIN EVERYTHING, PICCOLLAGE, DUCKDUCKGO, THINGLINK
8. Planificação de uma atividade letiva a efetivar como trabalho autónomo (2 horas)
Nesta sessão, com o apoio do formador, e tendo em conta as técnicas e os conceitos abordados, os formandos elaborarão um plano de aula a desenvolver com os seus alunos
9. Acompanhamento do desenvolvimento do trabalho autónomo dos formandos (2 horas)
Nesta sessão, os formandos darão conta do trabalho que estão a desenvolver no sentido de resolver problemas e enriquecer o projeto de cada um pela partilha entre pares
10. Apresentação dos trabalhos (4 horas)
Apresentação dos projetos desenvolvidos no trabalho autónomo
11. Reflexão sobre o trabalho desenvolvido e avaliação da ação (1 hora)
Trabalho autónomo: Execução em sala de aula do projeto planeado nas sessões presenciais (25 horas)

Metodologias de realização da ação

Presencial  Trabalho autónomo

Nas sessões que tratam os pontos do 1 a 7 os materiais serão disponíveis online desde a primeira sessão e serão trazidos à sala de formação de acordo com a exploração de conteúdos.
Nas sessões referenciadas com o ponto 8 e 9, cada formando terá oportunidade de partilhar com a turma as suas experiências e planos de aula relativamente ao seu trabalho autónomo.
Nos pontos 10 e 11 estão definidas a apresentação dos trabalhos produzidos, que são repartidas por cada formando seguindo-se debate no sentido de aprofundar as experiências de cada um.  − Cada formando fará a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, nos espaços de tempo entre cada uma das sessões presenciais em que estão previstas essas planificações (25 horas).

Regime de avaliação dos formandos
Os formandos são avaliados de acordo com as regras previstas no regulamento interno do centro de formação bem como a legislação vigente aplicável
Os formandos serão informados que a para sua avaliação serão tidos em conta os seguintes parâmetros/critérios
- Participação nas sessões presenciais em que será tido em conta a realização das tarefas nas sessões presenciais
- Relatório/trabalho de reflexão individual onde deverá constar memória descritiva do trabalho do formando nas sessões presenciais e o produto do trabalho autónomo apresentado.

Jogo, ludicidade e matemática_AE Daniel Faria_PD_F_10
Curso de formação
A Decorrer

Designação da ação

Jogo, ludicidade e matemática

CCPFC/ACC-104115/19

Formador(a) / Registo dos formadores

Paulo Daniel Ferreira / CCPFC/RFO-35804/15

Modalidade / Destinatários

Curso de Formação de 25 horas

Professores dos Grupos 100 e 110

Local de realização

AE Daniel Faria (escola sede)

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 100 e 110

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos Grupos 100 e 110

Cronograma

14/10 18:00 - 21:00

21/10 18:00 - 21:00

28/10 18:00 - 21:00

04/11 18:00 - 21:00

11/11 18:00 - 21:00

18/11 18:00 - 21:00

25/11 18:00 - 21:30

02/12 18:00 - 21:30

 

OBJETIVOS A ATINGIR

Com esta formação pretende-se levar à compreensão de como o envolvimento em atividades lúdicas proporciona um desenvolvimento de capacidades de raciocínio lógico-matemático, ao mesmo tempo que assume um papel motivador na aprendizagem da Matemática.

Pretende-se que os docentes: - conheçam jogos lógicos, numéricos e de estratégia, bem como truques com base matemática; - aprendam as regras e estratégias básicas dos diferentes jogos;- percebam como a Matemática pode ajudar a explicar ou garantir estratégias ganhadoras;

- se tornem capazes de levar a cabo um projeto que inclua a ludicidade matemática em atividades letivas ou não letivas.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

Módulo 1 – Introdução. Matemagia (Truques de Magia com base matemática). (3,5 horas)

Módulo 2 – Análise e exploração de curiosidades numéricas e jogos numéricos. (3,5 horas)

Módulo 3 – Análise e exploração de enigmas e jogos lógicos (3,5 horas)

Módulo 4 – Análise e exploração de truques com cartas e jogos de engenho. (3,5 horas)

Módulo 5 – Análise e exploração de jogos matemáticos: “Semáforo”, “Gatos e Cães” e “Ouri”. (3,5 horas)

Módulo 6 – Análise e exploração de jogos matemáticos: “Pontos e quadrados”, “Rastros”, “Konane” e “Moinho”. (3,5 horas)

Módulo 7 – Análise e exploração de jogos matemáticos: “Peões”, “Avanço”, “UN” e “Hex”. Balanço e avaliação. (4 horas)

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Esta formação é constituída por sessões essencialmente práticas, distribuídas por módulos. Será feita a apresentação dos conteúdos, seguida de análise e exploração pelos formandos.

Será aplicada uma metodologia que privilegie a participação ativa dos formandos através da exploração de vários jogos lógicos, numéricos ou geométricos, desafios, enigmas, truques de “magia” e construção de materiais.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação obedecerá aos critérios estabelecidos pelo Centro de Formação, de acordo com orientações emanadas do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua. A avaliação será de carácter quantitativo, na escala de 1 a 10 valores. Dimensões da avaliação da ação: participação, trabalhos práticos nas sessões e elaboração de um documento final de reflexão individual sobre a experiência pessoal derivada da participação na ação e implicações na sua prática letiva

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente do grupo  100 ou 110 das escolas associadas, de acordo com data de progressão*;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 26 de setembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Novas tecnologias na aula de Língua Estrangeira_AE Vilela_PD_F_82
Oficina de formação
A Decorrer

Designação da ação

Novas tecnologias na aula de Língua Estrangeira

CCPFC/ACC-103545/19

Formador(a) / Registo dos formadores

Susana Tenreiro

CCPFC/RFO-22526/07

Modalidade / Destinatários

Oficina de Formação – 50horas (25h+25H)

Professores dos Grupos 120, 220, 320, 330, 340 e 350

Local de realização

AE Vilela (escola sede)

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 120, 220, 320, 330, 340 e 350

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos Grupos 120, 220, 320, 330, 340 e 350

Cronograma

09/10– 1ª sessão presencial - inicial -  18.00 – 21h00

16/10 - 1ª sessão em e-learning de  (Assíncrona)

23/10 – 2ª sessão presencial - intermédia -: 18.00 – 21h00

 30/10- 2ª sessão em e-learning de  (Síncrona)

06/11 – 3ª sessão presencial - intermédia -  18.00 – 21h00

 13/11- 3ª sessão em e-learning de  (Assíncrona)

 20/11-  4ª sessão presencial - intermédia -  18.00 – 21h00

 27/11- 4ª sessão em e-learning  (Síncrona)

04/12 – 5ª sessão presencial - final -  18.00 – 21h00

OBJETIVOS A ATINGIR

Importância do desenvolvimento de práticas pedagógicas apoiadas em processos de aprendizagem ativa, centradas no aluno, baseados na tecnologia, no contexto de ensino e aprendizagem das línguas estrangeiras; Verificar as potencialidades, aprender a utilizar e adaptar às suas necessidades ferramentas digitais de ensino e aprendizagem, dentro e fora da sala de aula de língua estrangeira, que possibilitem a aprendizagem ativa por parte dos alunos; Refletir sobre a aplicação destas práticas pedagógicas, e analisar as suas potencialidades; Promover competências de trabalho colaborativo e partilha de saberes e de recursos entre os docentes das diferentes línguas estrangeiras

CONTEÚDOS DA AÇÃO

Mód.1: Aprendizagem ativa nas Línguas Estrangeiras (LE) (7h) Conteúdos: a.Conceito de aprendizagem ativa e seus principais benefícios; b Principais diferenças: aprendizagem ativa/aprendizagem passiva. c. Exemplos de ambientes de aprendizagem centrados no aluno. Mód.2: Estratégias de aprendizagem ativa nas LE (8h) Conteúdos: a. Estratégias e ferramentas que colocam o aluno no centro do processo de ensino e de aprendizagem.Mód. 3: Produção de atividades centradas no aluno para a sala de aula de L. E.(10h) Conteúdos a. Planificação de atividades e construção de recursos centrados no aluno para a sala de aula de LE e experimentação em contexto de sala de aula. b. Reflexão crítica sobre a atividade experimentada no que concerne à aprendizagem realizada pelos alunos e ao desenvolvimento das suas competências linguísticas..

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Presencial

Conteúdos das sessões, atividades a realizar, recursos e ferramentas, manuais, tutoriais, documentos de apoio, e ainda os fóruns de discussão, reflexão e partilha. Sessões de trabalho conjunto terão uma vertente mais teórica e outra mais prática para aplicação prática à sua Língua Estrangeira/ conteúdos/contextos educativos

Autónomo

Metodologia ativa e baseada na realização de tarefas por parte dos formandos. Durante o trabalho autónomo, será pedido aos formandos que experimentem ferramentas e desenvolvam materiais, recursos e atividades adaptados a essas ferramentas e aos conteúdos apresentados e que autonomamente os apliquem com os alunos

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Os formandos serão classificados na escala de 1 a 10, conforme indicado no Despacho 4595/2015 de 6 de maio do R.J.F.C.P respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua, com base na: Realização das tarefas propostas ao longo da oficina.Participação nas atividades de discussão/reflexão propostas.Realização da planificação de atividades de aprendizagem ativa para utilização em sala de aula com os alunos de língua estrangeira.Experimentação no contexto da sala de aula da Língua estrangeira que se encontra a lecionar, de uma atividade de centrada no aluno.Qualidade da realização das tarefas propostas e reflexões efetuadas. Apresentação e partilha final do trabalho desenvolvido

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente dos grupos destinatários, das escolas associadas, de acordo com data de progressão*;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 26 de setembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola). 

Promover Competências de Literacia Emergente no Jardim de Infância_AE Paços de Ferreira_PD_F_08
Oficina de formação
A Decorrer

Designação da ação / Registo de acreditação

Promover competências de literacia emergente no jardim de infância  /  CCPFC/ACC-104766/19

Formador(a) / Registo dos formadores

Rosa Campos  / CCPFC/RFO-30366/11

Modalidade / Destinatários

Oficina de Formação – 50horas (25h+25H) 

Professores do Grupo 100

Local de realização

AE Paços de Ferreira (escola sede)

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 100.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores do Grupo 100.

Cronograma

1ª Sessão 07 de outubro 16:30 às 19:30h

2ª Sessão 14 de outubro 16:30 às 19:30h

3ª Sessão 21 de outubro 16:30 às 19:30h

4ª Sessão 28 de outubro 16:30 às 19:30h

5ª Sessão 04 de novembro 16:30 às 19:30h

6ª Sessão 11 de novembro 16:30 às 19:30h

7ª Sessão 18 de novembro 16:30 às 19:30h

8ª Sessão 25 de novembro 16:30 às 20:30h

OBJETIVOS A ATINGIR

• identificar os princípios orientadores das teorias relacionadas com a literacia emergente;

• utilizar diferentes instrumentos de avaliação das competências de literacia emergente;

• planificar, monitorizar e avaliar atividades de promoção de competências de literacia emergente;

• implementar programas sistemáticos de promoção da literacia emergente de modo a facilitar a promoção destas competências;

• articular as atividades de promoção da literacia emergente com o ambiente familiar das crianças.

 CONTEÚDOS DA AÇÃO

1. Literacia emergente:

- Enquadramento teórico: Definição – 1 hora

- Modelos de aquisição da literacia emergente – 1 hora

- Dimensões envolvidas: Conhecimentos de Linguagem Oral; Conhecimentos Acerca do Impresso; Competências Metalinguísticas - 1 hora

2. Instrumentos de avaliação das competências de literacia emergente – 6 horas:

- Dimensões avaliadas

- Modos de administração e cotação dos instrumentos

3. A literacia emergente no Jardim-de-infância – 6 horas:

- Planificação e avaliação de atividades

- Análise e aplicação de programas de promoção de competências de literacia emergente

4. Literacia emergente e literacia familiar – 6 horas

- Definição de literacia familiar e sua relação com a literacia emergente.

- Análise de programas de literacia familiar

- Construção de atividades de articulação entre casa e escola.

5. Avaliação da oficina e produtos dos formandos – 4 horas

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Presencial

As sessões presenciais serão predominantemente teórico-práticas, envolvendo a exposição de pressupostos teóricos, bem como a discussão de casos, o roleplaying e a dinamização das atividades a implementar no jardim de infância e incluindo:

- aspetos teóricos relevantes, subjacentes aos domínios a trabalhar nas atividades;

- planificação conjunta das atividades a desenvolver no período de trabalho autónomo à sessão, incluindo os objetivos, recursos, estratégias, descrição e procedimentos de monitorização das atividades.

Autónomo

Em trabalho autónomo os formandos aplicarão, nos seus contextos educativos, os materiais e estratégias delineados, monitorizando-se depois os resultados dessa aplicação, procedendo-se às reformulações necessárias tendo em vista posteriores utilizações

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Avaliação presencial, resultante de registo de observação direta da qualidade da participação, de análise documental das planificações individuais a construir e de apreciação crítica da formação.

A avaliação far-se-á através de um processo contínuo e realizada tendo em conta os critérios:

1. Participação – 2 valores;

2. Resultado trabalho autónomo – 4 valores;

3. Trabalho Final – 4 valores.

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, de acordo com os termos da Carta Circular CCPFC-3/2007 e conforme indicado no Despacho 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua.

Não são certificados formandos cuja assiduidade seja inferior a dois terços da duração da ação de formação

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser Educadora de Infância nas escolas associadas *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 25 de setembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola).

A Expressão Musical na Educação Pré-Escolar e no 1.º Ciclo. Possível Abordagem_AE D. António Taipa_PD_F_09
Oficina de formação
A Decorrer

Designação da ação / Registo de acreditação

A Expressão Musical na Educação Pré-Escolar e no 1.º Ciclo. Possível Abordagem / CCPFC/ACC-92320/17

Formador(a) / Registo dos formadores

Helena Borges / CCPFC/RFO-37730/17

Modalidade / Destinatários

Oficina de Formação – 50horas (25h+25H)

Educadores de Infância e Professores do 1º Ciclo do Ensino Básico

Local de realização

AE D. António Taipa (escola sede)

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores do 1º Ciclo do Ensino Básico

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores do 1º Ciclo do Ensino Básico

Cronograma

7 de outubro - 18h às 21h

21 de outubro - 18h às 21h

28 de outubro - 18h às 21h

4 de novembro - 18h às 21h

11 de novembro - 18h às 21h

18 de novembro - 18h às 21h

9 de dezembro - 18h às 21h

16 de dezembro – 17:30 às 21:30

OBJETIVOS A ATINGIR

Consciencializar da importância da Expressão Musical no desenvolvimento de uma criança;

- Dotar os professores de competências para que possam dinamizar no espaço de sala de aula atividades de música em contexto interdisciplinar;

- Elaboração de planificações, de ferramentas bem como de atividades para a sua aplicação nas suas aulas e que favoreçam a imaginação, a criatividade e até o sentido estético;

- Domínio de competências que lhes permitam diversificar nas atividades de Expressão Musical dentro e fora da sala de aula.

CONTEÚDOS DA AÇÃO

A expressão musical está intimamente relacionada com a educação musical que se desenvolve, na educação pré-escolar bem como no 1º ciclo, em torno de cinco eixos fundamentais:

- ESCUTAR - A exploração das características dos sons passa por escutar, identificar e reproduzir sons e ruídos da natureza - água a correr, vento, "vozes" dos animais,….. - e da vida do dia a dia, como o tic-tac do relógio, a campainha do telefone ou motor do automóvel, …

- CANTAR - A relação entre a música e a palavra é uma outra forma de expressão musical. Cantar é uma atividade habitual na educação pré-escolar que pode ser enriquecida pela produção de diferentes formas de ritmo com a utilização de diferentes dinâmicas.

- DANÇAR – A dança como forma de ritmo produzido pelo corpo liga-se à expressão motora e permite que as crianças exprimam a forma como sentem a música, criem formas de movimento ou aprendam a movimentar-se, seguindo a música. Também, pode ser uma forma aliciante de trabalhar a turma como um todo.

- TOCAR e CRIAR – Existem instrumentos de percussão simples que podem ser construídos pelas crianças, utilizando material reciclável ou podem, também utilizar instrumentos musicais mais complexos, como por exemplo – Boomwackers, jogos de sinos, triângulos, pandeiretas, xilofones, …

Sendo assim, a Expressão Musical é uma das atividades que pode proporcionar à criança um enriquecimento de vivências sonoras que podem ser implementadas através de atividades lúdicas e que passam por uma experimentação e domínio progressivo do corpo e da voz.

Os conteúdos desta ação vão ser desenvolvidos e operacionalizados através das seguintes atividades:

♪ Jogos de Exploração – Através do corpo, da voz e dos instrumentos;

♪ A música e o“faz de conta…” – Através das histórias ou seres imaginários;

♪ A música para as Crianças Especiais – Musicoterapia para todos

Está previsto trabalho individual/grupo, a desenvolver nas sessões autónomas

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Sessões de Trabalho Presencial – 25 horas / Sessões de Trabalho Autónomo – 25 horas

Nas sessões presenciais serão desenvolvidas atividades de natureza diversificada como por exemplo:

- Sessões expositivas em formato Powerpoint;

- Sessões auditivas para exemplificação de algumas das atividades e com a participação dos formandos,

- Sessões com movimento corporal;

Assim, numa 1ª fase, (19 horas) haverá uma breve apresentação dos formandos bem como do respetivo formador. Cada formando deverá relatar a sua experiência na área e apontar as suas dificuldades sobre como implementar a Expressão Musical nas suas aulas. Poderá ainda apresentar a sua representação sobre a forma como gostaria de trabalhar com as suas crianças/alunos.

Depois de abordadas as questões teóricas e conceptuais da Expressão Musical na educação pré-escolar e 1.º ciclo, os formandos elaboram as planificações do trabalho a realizar em sala de aula.

Numa 2ª fase, (25 horas autónomas) os formandos cumprem a planificação realizada e registam o trabalho com os alunos

Numa 3ª fase, (6 horas) teríamos a apresentação de uma das atividades em ambiente de sala de aula em formato powerpoint, exposição oral/ou gravação áudio e vídeo e a avaliação em grupo/individual do trabalho realizado

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação dos formandos será feita tendo em conta os fatores:

1. Participação nas atividades, sessões presenciais, da ação

2. Apresentação de resultados do trabalho autónomo

3. Trabalho Final dos Formandos

O referencial da escala de avaliação é o previsto no n.º 2 do artigo 46º do Estatuto da Carreira Docente, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de janeiro:

*Excelente – de 9 a 10 valores

*Muito Bom – de 8 a 8.9 valores

*Bom – de 6.5 a 7.9 valores

*Regular – de 5 a 6.4 valores

*Insuficiente – de 1 a 4.9 valores

Não são certificados formandos cuja assiduidade seja inferior a dois terços da duração da ação de formação, conforme o entendimento do CCFC, descrito no ponto n.º 2 da Carta Circular CCPFC 1/2007.

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente do grupo 100 ou 110 das escolas associadas *;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 25 de setembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola).

Métodos e Técnicas de Cerâmica - Novas Experiências II_AE Joaquim Araújo_PD_F_20
Curso de formação
A Decorrer

Designação da ação / Registo de acreditação

Métodos e Técnicas de Cerâmica - Novas Experiências II   /   CCPFC/ACC-101288/18

Formador(a) / Registo dos formadores

MARIA JOSÉ MEDEIROS CARAMEZ   /   CCPFC/RFO-33924/13

Modalidade / Destinatários

Curso de Formação – 25horas

Professores do Grupo 240 e 600

Local de realização

AE Joaquim de Araújo (escola sede)

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 240 e 600.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos Grupos 240 e 600.

CRONOGRAMA

outubro - 7,14, 21, 28.              

novembro - 4, 11, 18, 25.

dezembro - 2

Nos dias 7 de outubro e dois de dezembro 17.30 - 19.30, nos restantes dias das 17.30 - 20.30

OBJETIVOS A ATINGIR

Desenvolver a capacidade de reflexão e sentido critico perante o ato criativo.

Conhecer e desenvolver novos métodos e técnicas no âmbito da cerâmica.

Desenvolver projetos pedagógicos nos quais a cerâmica seja integrada como fonte de aprendizagem e formação da personalidade.

 CONTEÚDOS DA AÇÃO

Selecionar e preparar as pastas cerâmicas em função do trabalho a realizar       2 h

Conceber peças e executar as técnicas adequadas: placa/molde/azulejo           10 h

Executar acabamentos, pintura e vidragem                                                          11 h

Proceder à enforna, desenforma e cozedura das peças cerâmicas.                      2 h

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Exposição e demonstração.

Realização de exercícios em cada fase das várias técnicas e tarefas.

Realização de exercícios de aplicação prática.

Avaliação crítica dos trabalhos realizados.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

•Avaliação contínua: participação 40% e trabalhos finais 60%.

•Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais

•Trabalhos práticos efectuados nas sessões presenciais e reflexão crítica final, de acordo com os critérios previamente estabelecidos, classificados nas escola de 1 a 10, conforme indicado na Carta Circular CCPFC – 3/2007 – Setembro 2007, com a menção qualitativa correspondente

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser docente do grupo 240 ou 600 das escolas associadas*;

2.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 25 de setembro até ao preenchimento das vagas.

*Caso progrida nos próximos meses, envie email com data da progressão para lhe ser dada prioridade (sujeito a confirmação pela listagem enviada pelo agrupamento/escola).