Próximas Ações

Ações a Decorrer

Introdução à folha de cálculo - Microsoft Excel_Sec. Paredes_PD10
Curso de formação
A Decorrer

Modalidade: Curso de 15 horas

Acreditação: CCPFC/ACC - 92595/17

Destinatários:Professores dos 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e do Ensino Secundário

Local de Realização: Escola Secundária de Paredes

Formador: Juan Nolasco

Cronograma

novembro    16     14:30 – 18:30

novembro    23     14:30 – 18:30

novembro     30     14:30 – 17:30

dezembro      07    14:30 -  18:30

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e do Ensino Secundário.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para a progressão em carreira.

Razões justificativas da acção e a sua inserção no plano de actividades da entidade proponente

Nas escolas, hoje, um professor vive rodeado de tecnologia. Torna-se necessário proporcionar a aquisição de diferentes instrumentos pedagógico-didácticos adequados ao meio que o rodeiam. A folha de cálculo é uma das ferramentas cruciais e com grandes potencialidades de utilização no dia-a-dia de um professor. A aprendizagem desta ferramenta fornecerá a cada professor novos instrumentos de utilização diária no processo de ensino aprendizagem. Ao mesmo tempo, os conhecimentos que irá adquirir farão com que poupe imenso tempo na realização de tarefas profissionais mais comuns. Hoje em dia são muitos os professores que por falta de formação nesta área continuam a desenvolver certas tarefas de forma manual e sem recurso às novas tecnologias, gastando assim mais tempo e não utilizando os meios informáticos que tem à sua disposição. Desta forma, esta formação visa criar condições para a formação contínua de professores no âmbito da utilização do EXCEL nos processos de ensino aprendizagem e a efectiva utilização dos meios disponíveis.

Objectivos a atingir
• Debater e aplicar as várias funcionalidades da folha de cálculo (Familiarizar-se com o Microsoft Excel,
• Conhecer e utilizar as várias potencialidades do Microsoft Excel);
• Fornecer aos professores o conhecimento e as bases para a utilização da folha de cálculo na sua prática
diária;
• Reflectir sobre o impacto da utilização da folha de cálculo e o seu potencial;
• Permitir aos professores utilizar novas práticas no seu dia-a-dia (Ex. Correcção de provas, avaliação, preparação
de aulas, desenvolvimento de recursos);
• Promover a produção de recursos utilizando as novas tecnologias;
• Promover a partilha e divulgação de materiais entre os vários professores e alunos;
• Promover e incentivar a auto-formação.

Conteúdos da acção
1. Conceitos gerais sobre folhas de cálculo: (0,5 horas)
1.1. Elementos principais de uma folha de cálculo.
1.2. Operadores aritméticos, relacionais e de referência.
1.3. Funções básicas.
2. Ambiente de trabalho de uma folha de cálculo: (0,5 horas)
2.1. Estrutura geral.
2.2. Friso.
2.3. Separadores.
3. Propriedades de um livro. (0,5 horas)
4. Temas. (0,5 horas)
5. Inserção de dados. (0,5 horas)
6. Formatação de células. (0,5 horas)
7. Ordenação. (0,5 horas)
8. Transferência (copiar, cortar e colar). (0,5 horas)
9. Formatação condicional. (0,5 horas)
10. Manipulação de colunas/linhas. (0,5 horas)
11. Funções básicas: (2 horas)
11.1. Soma.
11.2. Média.
11.3. Máximo.
11.4. Mínimo.
11.5. Contar.
11.6. Se.
12. Fórmulas simples, utilizando os operadores aritméticos. (2 horas)
13. Manipulação de funções e fórmulas: (2 horas)
13.1. Preenchimento automático.
13.2. Referências relativas, absolutas e mistas.
14. Manipulação de imagens. (0,5 horas)
15. Organização de folhas. (0,5 horas)
16. Configuração de folhas: (2 horas)
16.1. Orientação.
16.2. Margens.
16.3. Alinhamento.
16.4. Cabeçalhos e rodapés.
17. Integração de tabelas e de gráficos no Word e no PowerPoint. (0,5 horas)
18. Gravação em diferentes formatos e localizações (0,5 horas)

Metodologias de realização da acção
Metodologia Teórico prática, com o recurso à utilização de fichas auto-guiadas, de forma a incentivar o trabalho autónomo do docente com a Folha de Cálculo.

Regime de avaliação dos formandos

Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais.

Trabalhos práticos efectuados nas sessões presenciais e reflexão crítica final, de acordo com os critérios previamente estabelecidos, classificados nas escola de 1 a 10, conforme indicado na Carta Circular  CCPFC – 3/2007 – setembro 2007, com a menção qualitativa correspondente.

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser Professor da Escola Secundária de Paredes (75%).

2.º Ser Professor das restantes escolas associadas (25%).

3.º Ordem de Inscrição.

 

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

 

A fotografia digital como recurso pedagógico no ensino das ciência (Parte II)_Sec. Paços de Ferreira_PD14
Curso de formação
A Decorrer

Modalidade: Curso de 25 horas

Acreditação: CCPFC/ACC - 101225/18

Destinatários:Professores dos Grupos 230, 510 e 520

Local de Realização: Escola Secundária de Paços de Ferreira

Formadores: Adelina Silva, Ema Azevedo e Paulo Rocha

Cronograma

08 de novembro _  5ª feira    Teórica         

18.30 – 20.30        Escola Secundária de Paços de Ferreira

10 de novembro _ Sábado    Prática         

09.00 – 17.00        PNPG (Mata de Albergaria)

13 de novembro _ 3ª feira    T/P                 

18.30 – 20.30       Escola Secundária de Paços de Ferreira

17 de novembro _ Sábado    Prática         

13.00 – 18.00     VNGaia – Litoral rochoso, arenoso e ribeiras de Gaia

20 de novembro _ 3ª feira     T/P               

18.30 – 21.30     Escola Secundária de Paços de Ferreira

22 de novembro _ 5ª feira     T/P               

18.30 – 21.30    Escola Secundária de Paços de Ferreira

27 de novembro _ 3ª feira     Teórica         

18.30 – 20.30    Escola Secundária de Paços de Ferreira

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no art.º 5º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 230, 510 e 520.

Para efeitos de aplicação do nº 3 do art.º 14º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica) a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores dos Grupos 230, 510 e 520.

OBJETIVOS A ATINGIR

Este curso de formação tem como objetivo principal promover o uso das fotografias produzidas pelos próprios docentes em contexto educativo.

Assim, com este projeto pretende-se:

Distinguir ficheiros RAW e JPEG: vantagens e desvantagens de cada formato;

Dominar as técnicas de fotografia macro, panorâmica, longa exposição diurna e noturna;

Promover o uso de software gratuito para fotografia panorâmica, HDR e processamento de ficheiros RAW;

Fornecer bibliografia e infografia sobre a temática da fotografia e das diferentes técnicas fotográficas.

 CONTEÚDOS DA AÇÃO

As sessões teóricas e práticas (atividades outdoor) incidirão sobre os seguintes conteúdos:

Sessões teórico-práticas (10 horas)

1.Apresentação do grupo, da ação de formação e dos critérios de avaliação;

2.Vantagens e desvantagens da utilização de imagens JPEG e RAW;

3.Astrofotografia: a Lua e as suas estruturas dominantes (crateras de impacto, mares e continentes)

4.Domínio da composição fotográfica;

5.Utilização de software gratuito para pós-processamento das imagens obtidas nas sessões práticas (Microsoft ICE, Luminance HDR e Rawtherapee)

Sessões práticas (13 horas)

1.Fotografia de paisagem costeira e de montanha;

2.Fotografia de aspetos geológicos de rochas ígneas, metamórficas e sedimentares;

3.Fotografia macro de seres vivos dos Reinos Animalia, Plantae e Fungi;

4.Fotografia da vida selvagem em zonas de livre acesso ou em zonas protegidas.

Sessão teórica (2 horas)

5.Debate sobre a matéria em questão.Colocação e resposta a dúvidas

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

Na sala de formação decorrerão sessões presenciais conjuntas. As sessões de natureza teórica serão ministradas no formato de palestras dialogadas com forte intervenção dos formandos e com projeções em PowerPoint.

Nas sessões teórico-práticas pretende-se que os formandos utilizem os seus computadores pessoais em conjunto com o software gratuito (Microsoft ICE, Luminance HDR e Rawtherapee) para efetuarem um pós-processamento das imagens obtidas nas atividades práticas outdoor

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais

Produção de quatro fotografias, apresentação das mesmas em plenário e reflexão crítica final, de acordo com os critérios previamente estabelecidos, classificados nas escala de 1 a 10, conforme indicado na Carta Circular CCPFC – 3/2007 – Setembro 2007, com a menção qualitativa de:

1 a 4,9 valores – Insuficiente;

5 a 6,4 valores – Regular;

6,5 a 7,9 valores – Bom;

8 a 8,9 valores – Muito Bom;

9 a 10 valores - Excelente.

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

2.º Ser Professor da Escola Secundária de Paços de Ferreira (75%).

3.º Ser Professor das restantes escolas associadas (25%).

4.º Ter frequentado o nível 1 de Fotografia Digital

5.º Ordem de Inscrição.

Nota:

•Este curso tem como condição a posse de uma máquina DSLR ou afim e o domínio do controlo manual ou semiautomático do ISO, do diafragma e do obturador.

•Para o processo de pós-produção fotográfica é necessário computador portátil.

As visitas de estudo implicam deslocações em viatura própria

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 25 de outubro até ao preenchimento das vagas

 

 

 

 

 

Flexibilização e Integração curricular_AE Paredes_PD13
Oficina de formação
A Decorrer

Modalidade: Oficina de Formação_50 horas (25+25)

Acreditação: CCPFC/ACC - 91513/17

Destinatários: Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Professores de Educação Especial

Local de Realização: AE de Paredes

Formadora: Antónia Cardoso

Cronograma

Novembro     

7 (18:00_21:00)

21 (18:00_21:00)

Dezembro

5 (18:00_21:00)

19 (15:00_19:00)

Janeiro

9 (18:00_21:00)

23 (18:00_21:00)

Fevereiro

06 (18:00_21:00)

20 (18:00_21:00)

Relevância da ação 

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no art.º 5º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Professores de Educação Especial.

Para efeitos de aplicação do nº 3 do art.º 14º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica) a presente ação não releva para a progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Professores de Educação Especial.

OBJETIVOS A ATINGIR

No final da oficina de formação pretende-se que os formandos sejam capazes de:

•Conhecer as novas medidas de política educativa, ao nível do currículo nacional;

•Identificar os princípios orientadores para as práticas integradas de gestão flexível do currículo;

•Compreender os fundamentos e metodologias associadas à aprendizagem baseada em projetos;

•Abordar os conteúdos da área do saber com base em situações e problemas;

•Contribuir para criar dinâmicas de trabalho colaborativo nas unidades organizacionais (nomeadamente no Conselho Pedagógico e no Conselho de Turma) que favoreçam a gestão flexível do currículo, integrando práticas de ensino-aprendizagem centradas no aluno;

•Conceber, concretizar (em espaços de aprendizagem, nomeadamente na sala de aula), avaliar e reformular projetos de natureza disciplinar, multidisciplinar, interdisciplinar e transdisciplinar, tendo em conta a diversidade dos alunos e seus contextos, as áreas do saber e os recursos existentes, considerando e integrando diversas práticas, atividades e tarefas, de modo a:

O Proporcionar experiências de aprendizagem diversas e adequadas a todos e a cada aluno;

O Promover aprendizagens através de trabalho de natureza diversa (da disciplinaridade à transdisciplinaridade), com recurso, nomeadamente, à metodologia por projeto;

O Promover iniciativas cooperativas de aprendizagem, orientadas para a integração e troca de saberes;

O Desenvolver uma avaliação para a aprendizagem diversificando métodos e instrumentos, envolvendo os alunos no processo de avaliação, numa lógica de autorregulação.

 CONTEÚDOS DA AÇÃO

•Medidas de política educativa, ao nível do currículo nacional;

•Princípios orientadores de práticas integradas de gestão flexível do currículo:

O Flexibilização pedagógica e curricular;

O Trabalho colaborativo entre professores e cooperativo entre alunos;

O Trabalho de natureza disciplinar, multidisciplinar, interdisciplinar e transdisciplinar;

O Dinâmicas/abordagens pedagógicas diferenciadas e centradas nos alunos, nas diferentes áreas disciplinares (resolução de problemas, trabalho por projetos, entre outras);

•Conceção e monitorização de projetos num trabalho de natureza colaborativa:

O Identificação de ações dos docentes e dos alunos nas diferentes fases do trabalho por projeto – planeamento, desenvolvimento e avaliação;

O Identificação de potencialidades, desafios e estratégias no âmbito do trabalho cooperativo entre alunos;

•Coordenação de projetos e reflexão sobre dificuldades emergentes e estratégias para as ultrapassar.

•Métodos e técnicas de e para a avaliação das aprendizagens no contexto do trabalho colaborativo.

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO            

As tarefas a realizar na formação decorrem tanto nas sessões conjuntas como nas sessões de trabalho autónomo, durante as quais os formandos têm que analisar documentos, planear e conceber projetos concretizá-los e reconceptualizá-los, mobilizando os conceitos trabalhados ao longo da oficina.

Sessões presenciais (25 horas):

Nestas sessões, exclusivamente presenciais, serão explorados os conteúdos da ação, recorrendo a metodologias participativas onde cada formando tem um papel central promovendo o isomorfismo de práticas. Constituem-se grupos de trabalho para aplicação dos conhecimentos adquiridos na parte teórica-prática, apresentação e discussão dos trabalhos práticos desenvolvidos, assim como partilha de experiências dos trabalhos desenvolvidos em contexto de sala de aula (componente laboratorial). As sessões presenciais podem ser desenvolvidas em diferentes contextos, por exemplo, quando possível, em sala de aula, tendo como base o processo de formação lesson study.

Na primeira sessão dar-se-á a abertura da ação, com a apresentação dos formandos e formadores. Será apresentada a organização da oficina de formação (objetivos, metodologia, assiduidade e avaliação dos formandos, obtenção de creditação, entre outros).

As duas últimas sessões serão dedicadas à apresentação e partilha final da atividade implementada, reflexão final, permitindo a reconceptualização dos projetos curriculares apresentados, e avaliação da oficina de formação.

Nas restantes sessões de trabalho conjunto serão trabalhados os conteúdos da formação, de cariz teórico-prático e laboratorial, fazendo a ponte entre o vivido na componente presencial e o vivenciado no contexto profissional.

Trabalho autónomo (25 horas):

O trabalho autónomo será desenvolvido em sala de aula ou noutros contextos educativos, onde os professores/formandos desenvolvem as metodologias e as práticas trabalhadas nas sessões presenciais e concretizado através da conceção, desenvolvimento e avaliação de projetos, num trabalho de natureza multidisciplinar, interdisciplinar e transdisciplinar, por forma a criar contextos de aprendizagem inovadores e desafiantes.

No final, será elaborado um relatório e uma apresentação que traduzirão todo o trabalho desenvolvido.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação dos formandos terá incidência em:

Critérios / Parâmetros

Participação/Contributos:             

- Participação nas sessões (dinâmica da participação e qualidade das intervenções)

- Apresentação oral do trabalho autónomo desenvolvido

Trabalho de aplicação de conteúdos:       

- Conceção, desenvolvimento e avaliação de projetos curriculares num trabalho de natureza multi, inter e transdisciplinaridade. (Qualidade dos materiais produzido no âmbito dos projetos, tais como: (ppt de apresentação dos projetos; evidências do trabalho desenvolvido em contexto; instrumentos de recolha de informação, entre outros)

- Produção de relatório final, individual.

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado nos n.ºs 5 e 6 do artigo 4.ª do Despacho n.º 4595/2015, DR, 2.ª série, N.º 87, de 6 de Maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos pela DGE e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua.

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1.º Ser Professor do AE de Paredes (75%).

2.º Ser Professor das restantes escolas associadas (25%).

3.º Ordem de Inscrição.

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 22 outubro até ao preenchimento das vagas

 

 

 

A Biblioteca Escolar, agente de mudança na escola do séc. XXI_Biblioteca Municipal de Paços de Ferreira _PD07
Curso de formação
A Decorrer

Modalidade:               Curso de Formação_ 25 horas

Acreditação:             CCPFC/ACC-92961/17            

Destinatários:           Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Local de Realização:   Biblioteca Municipal de Paços de Ferreira

Formador:                    António Pires

Cronograma

Presencial                                                              Online

30/10     (14:30_17:30)                                             6/11     (14:30_16:30)

27/11     (14:30_17:30)                                             11/12     (14:30_17:30)

15/01     (14:30_17:30)                                             05/02     (14:30_17:30)

19/02     (14:30_17:30)                                             12/03     (14:30_16:30)

03/04     (14:30_17:30)                                            

Razões justificativas da ação e a sua inserção no plano de atividades da entidade proponente

A função do professor bibliotecário, definida na Portaria 192-A/2015, de 29 de junho, implica conhecimentos e capacidades que extrapolam os que são adquiridos na formação docente inicial. Para o seu desempenho, é essencial uma constante atualização ao nível científico (biblioteconomia), pedagógico e também na área da gestão de serviços e de recursos humanos e materiais.

Atendendo às recentes orientações relativas à utilização das tecnologias móveis no processo de ensino/aprendizagem e à flexibilização curricular bem como ao Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória, é ainda necessário que todos os professores se atualizem – nomeadamente ao nível das tecnologias móveis - para que possam ser verdadeiros agentes de mudança numa escola que se pretende promotora de competências para o séc. XXI.

Sendo a biblioteca escolar (BE) – à luz do Quadro Estratégico 14-20 do Programa da Rede de Bibliotecas Escolares – um dos agentes pedagógicos responsáveis pela aquisição de competências literácicas pelos alunos e um pivô da transversalidade curricular, é também fundamental a aquisição pelo professor bibliotecário de competências de gestão de recursos humanos e de gestão da informação, bem como de noções de marketing do serviço que promovam a utilização da Biblioteca Escolar por alunos e professores em articulação com o currículo.

Todos estes conhecimentos e competências serão adquiridos e rentabilizados de forma mais eficaz se a metodologia proposta para o processo de aquisição se basear na interação/troca de experiências pedagógicas proporcionada pelo trabalho num grupo de professores bibliotecários de vários Agrupamentos de Escolas/Escola não Agrupadas. Porque se pretende uma relação estreita entre a troca de experiências e a aplicação prática de orientações e técnicas ao trabalho quotidiano da Biblioteca Escolar, propõe-se uma metodologia em regime blended learning, com 15h presencias e 10 horas a distância, que permita uma interação frequente – apesar da eventual distância física – entre formandos, bem como entre formando e formador.

A opção pela realização de algumas sessões online prende-se com o facto de se tratar de um conjunto de formandos oriundos das várias escolas do Concelho, relativamente distantes entre si, de alguma forma dificultando, por esse facto, encontros presenciais mais frequentes. Por outro lado, as próprias temáticas previstas para as sessões a distância ganharão, na sua abordagem, pelo facto de estarem a ser desenvolvidas dessa maneira, apresentando vantagens incontestáveis para os formandos.

Objetivos a atingir

1. Promover o desenvolvimento de competências do professor bibliotecário e da equipa face aos atuais desafios das bibliotecas escolares.

2. Contribuir para a melhoria dos recursos e serviços das bibliotecas escolares

3. Promover a partilha de conhecimentos e experiências entre professores bibliotecários

4. Veicular noções básicas de tratamento documental

5. Promover a difusão da informação

6. Promover as literacias digital, informacional, da leitura e dos média através do trabalho em articulação BE/currículo

7. Promover o trabalho em articulação BE/currículo

8. Promover o trabalho em rede (no AE, concelhio, nacional)

Conteúdos da ação

Os conteúdos desta ação prendem-se com as diversas valências de intervenção a que um professor bibliotecário tem de responder na sua Escola não Agrupada / Agrupamento, de acordo com o conteúdo funcional enunciado no art.º 3.º da Portaria 192-A/2015, de 29 de junho:

1. Programa Rede de Bibliotecas Escolares. Quadro estratégico: 2014-2020 (1h presencial)

2. A Biblioteca na Escola/ no Agrupamento e as funções do professor bibliotecário/equipa (1h presencial)

3. A Biblioteca escolar e a articulação curricular: as potencialidades do trabalho colaborativo (1h presencial+2h a distância, assíncrona)

3.1. Aprender com a biblioteca escolar: referencial sobre as aprendizagens dos alunos em articulação BE/currículo.

3.1.1. A literacia: da leitura, dos média, da informação, digital.

3.1.2. Trabalhar por projetos.

4. A era digital e os seus desafios para as BE: os novos ambientes de aprendizagem (3h presenciais+3h a distância, assíncrona)

4.1. Novos dispositivos e práticas para a pedagogia no séc. XXI: aplicações para a educação

4.2. A biblioteca digital

5. Práticas de leitura: mediação da leitura e leitura em voz alta de acordo com a faixa etária do público alvo (3h presenciais)

6. Tratamento documental (informatizado em linguagem UNIMARC) e gestão da informação (3h presenciais+3h a distância, assíncrona)

6.1. circuito do documento, da informação e da leitura

6.2. procedimentos de seleção e aquisição

6.3. tratamento preliminar e técnico: registo, carimbagem, catalogação, classificação, indexação, cotação/arrumação/disponibilização dos diversos tipos de documentos

6.4. OPAC (On-line Public Access Catalog).

6.5. Difusão da informação

6.5.1. informatização do empréstimo

6.5.2. registos de utilização dos serviços

7. A biblioteca em rede: uniformização de procedimentos no Agrupamento de Escolas/nas BE do concelho (1h a distância, assíncrona)

8. Avaliação da BE: o MABE (1h a distância, assíncrona)

9. O marketing nas bibliotecas escolares (1h presencial)

10. Gestão de recursos (1h presencial)

10.1. gestão dos recursos humanos

10.2. organização e gestão dos recursos de informação.

11. Avaliação da ação (1h presencial)

Metodologias de realização da ação

1. Sessões teoricopráticas presenciais

1.1. Apresentação de propostas de reflexão, documentos orientadores da RBE e outros documentos de trabalho

1.2. Debate, estudo de casos, troca de experiências e reflexão

1.2.1.Diálogo

1.2.2. Trabalho em grupo/em pares

1.2.3. Apresentações

2. Sessões a distância, assíncronas

2.1.Leitura de documentos e reflexão sobre os mesmos

2.2. Aplicação das orientações RBE, procedimentos técnicos e conhecimentos à prática do trabalho da BE: propostas de trabalhos

3. Elaboração de uma reflexão crítica sobre a formação.

Duração: de setembro a julho, 5 sessões presenciais de 3h + 4 sessões a distância, assíncronas ( 2 sessões de 2h e 2 sessões de 3h)

Regime de avaliação dos formandos

Frequência obrigatória de, pelo menos, 2/3 das horas de formação.

Participação nas sessões teoricopráticas.

Participação nas sessões a distância.

Apresentação dos trabalhos propostos.

Elaboração de uma reflexão crítica sobre a ação.

A avaliação expressa-se de acordo com uma escala quantitativa de 1 a 10 valores, que tem como referente as menções respetivas, conforme definido nos pontos 5 e 6 do art.º 4.º do Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua de professores.

Forma de avaliação da ação

A avaliação da ação é feita:

a) pelos formandos: resposta a um questionário elaborado para o efeito;

b) pelo formador: relatório de avaliação da Ação;

c) pelo Centro de Formação: avaliação global da Ação, com base nos instrumentos avaliativos utilizados por formandos e formador.

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1º Ser Professor Bibliotecário do concelho de Paços de Ferreira

2ª Ser professor de um Agrupamento do concelho de Paços de Ferreira

3º Ordem de Inscrição

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De  25 setembro até ao preenchimento das vagas

 

 

 

A Biblioteca Escolar, agente de mudança na escola do séc. XXI_Biblioteca de Penafiel_PD09
Curso de formação
A Decorrer

Modalidade:               Curso de Formação_ 25 horas

Acreditação:             CCPFC/ACC-92961/17            

Destinatários:           Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Local de Realização:   Biblioteca Municipal de Penafiel

Formador:                    António Pires

Cronograma

Presencial                                                              Online

23/10     (14:30_17:30)                                             30/10     (14:30_16:30)

20/11     (14:30_17:30)                                             04/12     (14:30_17:30)

08/01     (14:30_17:30)                                             29/01     (14:30_17:30)

05/02     (14:30_17:30)                                             19/03     (14:30_16:30)

26/03     (14:30_17:30)                                            

Razões justificativas da ação e a sua inserção no plano de atividades da entidade proponente

A função do professor bibliotecário, definida na Portaria 192-A/2015, de 29 de junho, implica conhecimentos e capacidades que extrapolam os que são adquiridos na formação docente inicial. Para o seu desempenho, é essencial uma constante atualização ao nível científico (biblioteconomia), pedagógico e também na área da gestão de serviços e de recursos humanos e materiais.

Atendendo às recentes orientações relativas à utilização das tecnologias móveis no processo de ensino/aprendizagem e à flexibilização curricular bem como ao Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória, é ainda necessário que todos os professores se atualizem – nomeadamente ao nível das tecnologias móveis - para que possam ser verdadeiros agentes de mudança numa escola que se pretende promotora de competências para o séc. XXI.

Sendo a biblioteca escolar (BE) – à luz do Quadro Estratégico 14-20 do Programa da Rede de Bibliotecas Escolares – um dos agentes pedagógicos responsáveis pela aquisição de competências literácicas pelos alunos e um pivô da transversalidade curricular, é também fundamental a aquisição pelo professor bibliotecário de competências de gestão de recursos humanos e de gestão da informação, bem como de noções de marketing do serviço que promovam a utilização da Biblioteca Escolar por alunos e professores em articulação com o currículo.

Todos estes conhecimentos e competências serão adquiridos e rentabilizados de forma mais eficaz se a metodologia proposta para o processo de aquisição se basear na interação/troca de experiências pedagógicas proporcionada pelo trabalho num grupo de professores bibliotecários de vários Agrupamentos de Escolas/Escola não Agrupadas. Porque se pretende uma relação estreita entre a troca de experiências e a aplicação prática de orientações e técnicas ao trabalho quotidiano da Biblioteca Escolar, propõe-se uma metodologia em regime blended learning, com 15h presencias e 10 horas a distância, que permita uma interação frequente – apesar da eventual distância física – entre formandos, bem como entre formando e formador.

A opção pela realização de algumas sessões online prende-se com o facto de se tratar de um conjunto de formandos oriundos das várias escolas do Concelho, relativamente distantes entre si, de alguma forma dificultando, por esse facto, encontros presenciais mais frequentes. Por outro lado, as próprias temáticas previstas para as sessões a distância ganharão, na sua abordagem, pelo facto de estarem a ser desenvolvidas dessa maneira, apresentando vantagens incontestáveis para os formandos.

Objetivos a atingir

1. Promover o desenvolvimento de competências do professor bibliotecário e da equipa face aos atuais desafios das bibliotecas escolares.

2. Contribuir para a melhoria dos recursos e serviços das bibliotecas escolares

3. Promover a partilha de conhecimentos e experiências entre professores bibliotecários

4. Veicular noções básicas de tratamento documental

5. Promover a difusão da informação

6. Promover as literacias digital, informacional, da leitura e dos média através do trabalho em articulação BE/currículo

7. Promover o trabalho em articulação BE/currículo

8. Promover o trabalho em rede (no AE, concelhio, nacional)

Conteúdos da ação

Os conteúdos desta ação prendem-se com as diversas valências de intervenção a que um professor bibliotecário tem de responder na sua Escola não Agrupada / Agrupamento, de acordo com o conteúdo funcional enunciado no art.º 3.º da Portaria 192-A/2015, de 29 de junho:

1. Programa Rede de Bibliotecas Escolares. Quadro estratégico: 2014-2020 (1h presencial)

2. A Biblioteca na Escola/ no Agrupamento e as funções do professor bibliotecário/equipa (1h presencial)

3. A Biblioteca escolar e a articulação curricular: as potencialidades do trabalho colaborativo (1h presencial+2h a distância, assíncrona)

3.1. Aprender com a biblioteca escolar: referencial sobre as aprendizagens dos alunos em articulação BE/currículo.

3.1.1. A literacia: da leitura, dos média, da informação, digital.

3.1.2. Trabalhar por projetos.

4. A era digital e os seus desafios para as BE: os novos ambientes de aprendizagem (3h presenciais+3h a distância, assíncrona)

4.1. Novos dispositivos e práticas para a pedagogia no séc. XXI: aplicações para a educação

4.2. A biblioteca digital

5. Práticas de leitura: mediação da leitura e leitura em voz alta de acordo com a faixa etária do público alvo (3h presenciais)

6. Tratamento documental (informatizado em linguagem UNIMARC) e gestão da informação (3h presenciais+3h a distância, assíncrona)

6.1. circuito do documento, da informação e da leitura

6.2. procedimentos de seleção e aquisição

6.3. tratamento preliminar e técnico: registo, carimbagem, catalogação, classificação, indexação, cotação/arrumação/disponibilização dos diversos tipos de documentos

6.4. OPAC (On-line Public Access Catalog).

6.5. Difusão da informação

6.5.1. informatização do empréstimo

6.5.2. registos de utilização dos serviços

7. A biblioteca em rede: uniformização de procedimentos no Agrupamento de Escolas/nas BE do concelho (1h a distância, assíncrona)

8. Avaliação da BE: o MABE (1h a distância, assíncrona)

9. O marketing nas bibliotecas escolares (1h presencial)

10. Gestão de recursos (1h presencial)

10.1. gestão dos recursos humanos

10.2. organização e gestão dos recursos de informação.

11. Avaliação da ação (1h presencial)

Metodologias de realização da ação

1. Sessões teoricopráticas presenciais

1.1. Apresentação de propostas de reflexão, documentos orientadores da RBE e outros documentos de trabalho

1.2. Debate, estudo de casos, troca de experiências e reflexão

1.2.1.Diálogo

1.2.2. Trabalho em grupo/em pares

1.2.3. Apresentações

2. Sessões a distância, assíncronas

2.1.Leitura de documentos e reflexão sobre os mesmos

2.2. Aplicação das orientações RBE, procedimentos técnicos e conhecimentos à prática do trabalho da BE: propostas de trabalhos

3. Elaboração de uma reflexão crítica sobre a formação.

Duração: de setembro a julho, 5 sessões presenciais de 3h + 4 sessões a distância, assíncronas ( 2 sessões de 2h e 2 sessões de 3h)

Regime de avaliação dos formandos

Frequência obrigatória de, pelo menos, 2/3 das horas de formação.

Participação nas sessões teoricopráticas.

Participação nas sessões a distância.

Apresentação dos trabalhos propostos.

Elaboração de uma reflexão crítica sobre a ação.

A avaliação expressa-se de acordo com uma escala quantitativa de 1 a 10 valores, que tem como referente as menções respetivas, conforme definido nos pontos 5 e 6 do art.º 4.º do Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua de professores.

Forma de avaliação da ação

A avaliação da ação é feita:

a) pelos formandos: resposta a um questionário elaborado para o efeito;

b) pelo formador: relatório de avaliação da Ação;

c) pelo Centro de Formação: avaliação global da Ação, com base nos instrumentos avaliativos utilizados por formandos e formador.

INSCRIÇÃO

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)

http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1º Ser Professor Bibliotecário do concelho de Penafiel

2ª Ser professor de um Agrupamento do concelho de Penafiel

3º Ordem de Inscrição

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De  25 setembro até ao preenchimento das vagas

 

 

Expressão Plástica: experiências desenhadas e coloridas_AE Lordelo_PD02
Curso de formação
A Decorrer

Modalidade:                       Curso de Formação – 25 horas

Acreditação:                      CCPFC/ACC-100643/18

Destinatários:                  Professores dos Grupos 110 e 240

Local de Realização:     Agrupamento de Escolas de Lordelo

Cronograma                     

Outubro                                17, 24, 31                               

Novembro                            7, 21                                       

Dezembro                            5, 12

(a iniciar às 17h)

Formador:    LUÍS MANUEL FERREIRA PINHEIRO

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110 e 240.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110 e 240.

Razões justificativas da ação e a sua inserção no plano de atividades da entidade proponente

Esta ação pretende sensibilizar os professores para a aprendizagem das técnicas de pintura em diferentes suportes técnicos. Enriquecer através da composição e de cor a elaboração da pintura na área das expressões visuais. Aplicar diversas técnicas de pintura poderá desenvolver novas capacidades de expressão junto dos alunos e fomentar o trabalho em grupo. Esta ação vai ao encontro do conteúdo das disciplinas das artes visuais, destacando os seguintes objetivos gerais: sensibilizar e orientar os formandos para experiências práticas, que se transformam numa parte ativa do conhecimento; desenvolver uma atitude reflexiva, criativa e inventiva, conciliando aprendizagem e informação, de modo a alcançar um espaço pedagógico criativo e interativo e promover experiências de aprendizagem abordando diferentes meios de expressão.

Objetivos a atingir

Incentivar os professores para, junto dos seus alunos, desenvolver e explorar:

- Promover a transversalidade da expressão plástica.

- Fomentar o contacto com a obra de arte.

- Contribuir para o desenvolvimento dos alunos ao nível da sensibilidade estética e do gosto pela arte.

- Promover a inovação e a criatividade dos alunos.

- Incrementar a troca de experiências educativas, refletindo sobre as práticas desenvolvidas, de modo a aperfeiçoar meios processuais e ou técnicos.

- Utilizar os diversos meios de expressão.

- Desenvolver as capacidades expressivas dos instrumentos e materiais.

- Aplicar as técnicas básicas de expressão plástica.

Conteúdos da ação

Apresentação da ação de formação, discussão dos critérios de avaliação e indicação do material necessário para as sessões (30min).

DESENHO/PINTURA

- Grafite e carvão sobre papel ou cartão (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

- Lápis de cor sobre papel/cartão (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

- Marcadores ou canetas de feltro sobre papel/cartão (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

PINTURA/IMPRESSÃO

- Guache sobre papel/cartão (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

DESENHO/PINTURA

- Pastel seco sobre papel/cartão (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

- Pastel óleo sobre papel/cartão (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

- Acrílico sobre tela (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

RECORTE, COLAGEM E TÉCNICAS MISTAS

- Técnica mista sobre cartão/plátex (30 min. - Teórica | 2:30 horas - Prática).

- Análise do processo de trabalho e dos resultados obtidos e avaliação (30min).

Metodologias de realização da ação

As sessões a ministrar serão teórico/práticas, abarcando:

- Mostra visual das técnicas (desenho, pintura, impressão e colagem) e materiais referidos (papel, cartão, plátex e tela).

- Experimentação de algumas técnicas referidas e realização de trabalhos pelos formandos.

Regime de avaliação dos formandos

• Participação nas sessões de trabalho – 40% + Trabalho final – 60%

• Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais;

•  Trabalhos práticos efetuados nas sessões presenciais e reflexão crítica final, de acordo com os critérios previamente estabelecidos, classificados na escala de 1 a 10, conforme indicado na Carta Circular CCPFC – 3/2007 – setembro 2007, com a menção qualitativa de:

1 a 4,9 valores – Insuficiente;

5 a 6,4 valores – Regular;

6,5 a 7,9 valores – Bom;

8 a 8,9 valores – Muito Bom;

9 a 10 valores – Excelente

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

1º Ser Professor das Escolas Associadas ao CFAEPPP

        75% vagas para o AE de Lordelo

        25% vagas para as restantes

2º Ordem de Inscrição

PRAZO DE INSCRIÇÃO    

De 12 a 30 setembro

Educação para a cidadania_do enquadramento às práticas_Sec. Paredes_PD04
Oficina de formação
A Decorrer

Modalidade:                   Oficina de Formação – 60 horas (30presenciais+30trabalho autónomo)

Acreditação:                        A aguardar

Destinatários:                Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de educação Especial

Local de Realização:    Escola Secundária de Paredes

Formador(a):                   Ana Granja

Cronograma                 

outubro                           3, 17 e 31        das  15:30_20:30                 

novembro                       14 e 28             das  15:30_20:30          

dezembro                        15 ou 20          das 8:30_13:30 ou 15:30_20:30                    

Relevância da ação

Mais se certifica que, para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial.

Para efeitos de aplicação do artigo 9º do RJFC de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para a progressão em carreira.

Objetivos a atingir

•Refletir sobre os conceitos de cidadania e de educação para a cidadania à luz da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania (ENEC), de referentes teóricos e das conceções e práticas dos docentes; • Abordar formas de operacionalização da ENEC ao nível da escola: aprendizagens esperadas em Cidadania e Desenvolvimento (CD); componentes fundamentais dos domínios da educação para a cidadania; exploração, produção e aplicação de recursos educativos de apoio ao trabalho docente em CD; • Utilizar metodologias ativas, centradas na aprendizagem vivencial da cidadania democrática e na abordagem inter, multi e transdisciplinar;

• Promover práticas de avaliação dos alunos adequadas a conteúdos e metodologias de educação para a cidadania

Conteúdos da ação

A ação de formação se rá desenvolvida numa perspetiva teórico-prática, privilegiando a articulação entre as aprendizagens adquiridas nas sessões presenciais e a realização de trabalho autónomo. As sessões presenciais conjuntas têm por objeto os seguintes conteúdos e respetiva carga horária:

1. Apresentação da Estratégia Nacional de Educação par a a Cidadania – 2 horas;

2. Metodologia de implementação da componente curricular de ‘Cidadania e Desenvolvimento’: Whole School Approach – 5 horas;

3. Avalia ção das aprendizagens dos alunos em ‘Cidadania e Desenvolvimento’ – 3 horas;

4. Domínios de Educação para a Cidadania, de acordo com os seguintes grupos:

4.1. Direitos Humanos (civis e políticos, económicos, sociais e culturais e de solidariedade); Igualdade de Género;

Interculturalidade (diversidade cultural e religiosa); Instituições e participação democrática; Voluntariado – 6 horas;

4.2. Desenvolvimento Sustentável; Educação Ambiental; Bem-estar animal – 3 horas;

4.3. Saúde (promoção da saúde, saúde pública, alimentação, exercício físico); Sexual idade (diversidade, direitos, saúde sexual e reprodutiva) – 3 horas;

4.4. Literacia financeira e educa ção para o consumo; Empreendedorismo (nas suas vertentes económica e social); Mundo do Trabalho – 3 horas;

4.5. Segurança rodoviá ria; Risco; Segurança, Defesa e Paz; Media – 5 horas.

Metodologias da ação

Sessões presenciais

Formação presencial - abordagem teórico-prática; apresentação de inputs teóricos em conjugação com a realização de atividades concretas pelos formandos, mediante processos de ‘aprender fazendo’ e de momentos de reflexão e de debate.

Utilização de metodologias ativas que se espera que os formandos venham a pôr em prática na sua ação com os alunos.

Incentivo à produção de recursos didáticos pelos formandos.

Trabalho autónomo

Trabalho autónomo (em sala de aula e/ou noutros contextos educativos) - abrange a conceção,

aplicação e avaliação de atividades/projetos com os alunos, em que os docentes mobilizem competências e apliquem metodologias trabalhadas nas sessões presenciais. Apresentação dos trabalhos da componente autónoma, bem como elaboração de relatório individual.

Avaliação dos formandos

A avaliação contínua do desempenho d os/as formandos/as terá por base o trabalho realizado nas sessões presenciais, assim como na componente de trabalho autónomo, em função das atividades realizadas com os/as alunos/as, ao nível da sala de aula e/ou de outros contextos das práticas pedagógicas dos/as formandos/as.

Na parte final da ação, haverá também uma avaliação dos/as formandos/as tendo por objeto a apresentação dos trabalhos da componente autónoma, bem como relatório individual.

Os/As formandos/as serão avaliados utilizando a escala de 1 a 10 v alores, conforme estipulado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, recorrendo aos parâmetros de avaliação estabelecidos pela DGE.

Inscrição

Na plataforma do CFAEPPP (inscrição na turma)   http://cfaeppp.ulu.pt/CentroFormacao/

20 vagas

Critérios de seleção

1º Designado pela Escola/Agrupamento

Prazo de inscrição

De 13 a 22 de setembro